Dados divulgados nesta sexta-feira (2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que em um ano, 1,1 milhão de cearenses se tornaram pobres ou extremamente pobres. Conforme o estudo, houve aumento de cerca de 537 mil pessoas extremamente pobres e de 596 mil pessoas pobres entre os anos de 2020 e 2021.

Ainda segundo o estudo do IBGE, em 2021, no Ceará, havia 1,4 milhão de pessoas vivendo na extrema pobreza e 4,3 milhões vivendo em situação de pobreza. Em 2021, a extrema pobreza e a pobreza ficaram em patamares superiores a 2019, período pré-pandemia.