O termo “primeiro-cavalheiro” passou a ser atribuído ao namorado do governador reeleito do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), de 37 anos, após a vitória do político nas urnas. Desde domingo (30), o médico capixaba Thalis Bolzan, de 30 anos, vem recebendo várias mensagens de felicitação.

Em seu perfil no Instagram, o pediatra afirma ser mestrando na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), instituição na qual se especializou em endocrinologia pediátrica

Ao g1, o professor de língua portuguesa Sérgio Nogueira explica que, apesar de o substantivo não constar do “Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (Volp)”, a denominação não está errada e pode, no futuro, acabar sendo incluída na lista.

Organizado pela Academia Brasileira de Letras (ABL), o “Volp” faz o registro oficial de palavras do idioma.

O professor lembra ainda que o Brasil já teve outros casos em que, após a eleição de mulheres para determinados cargos, o posto de primeiro-cavalheiro foi ocupado pelos respectivos companheiros.

“No Brasil, ainda não tivemos uma denominação formal para este cargo. Nós já conhecemos a nomenclatura ‘príncipe consorte’. Isso foi usado na Inglaterra para o marido da Rainha Elizabeth II, por exemplo. Aqui no Brasil, já tivemos alguns casos de governadoras mulheres, mas não lembro se a denominação foi usada”, continua Nogueira.

Fonte: G1

PODCAST DIÁLOGO MAIS – Papo de política com o empresário Sá Vilarouca