A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) reconheceu que tem a responsabilidade de impedir que a invasão promovida pela Rússia na Ucrânia se espalhe para outros países. A declaração foi dada pelo secretário-geral da aliança, Jens Stoltenberg, nesta terça-feira (8).

“Nós temos a responsabilidade de assegurar que o conflito não escale e se espalhe para além da Ucrânia. Isso seria ainda mais perigoso, destrutivo e mortal. A situação poderia sair do controle”, considerou em entrevista coletiva na cidade de Riga, na Letônia.

Stoltenberg avaliou que “o sofrimento que estamos vendo na Ucrânia é horrível” e afirmou que a Otan está “fortalecendo significativamente” sua presença no leste europeu para “garantir que não haja espaço para qualquer erro de cálculo em Moscou”.

“Nós temos 130 jatos em alto nível de alerta, mais de 200 navios do extremo norte até o Mediterrâneo e milhares de tropas adicionais na região”, contou. “A Otan vai proteger e defender cada pedaço do território aliado.”

Apesar do posicionamento de Stoltenberg, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, já reclamou da falta de cooperação da Otan, especialmente após a recusa da aliança em promover uma zona de exclusão aérea no país.

Na época, o próprio secretário-geral da aliança explicou que a Otan “não deve ter aviões ou tropas operando na Ucrânia” e que a decisão visava impedir uma possível terceira guerra mundial.

Fonte: Yahoo Notícias