“As explicações dadas pela Rússia, de que se tratava de montagens e de que a Rússia não era responsável por esses assassinatos, é insustentável do nosso ponto de vista”, disse o porta-voz do governo, Steffen Hebestrei, em coletiva de imprensa em Berlim.

“As Forças Armadas e de segurança russas se deslocaram para esta região em 3 de março”, disse o porta-voz.

Há análises de imagens de satélite tiradas entre 10 e 18 de março de 2022″ que “mostram que as vítimas de Bucha estavam no chão desde pelo menos 10 de março. Dados confiáveis mostram que de 7 de março até 30, inclusive, as forças russas estiveram presentes na área”, acrescentou.

O chefe de Governo alemão, Olaf Scholz, disse nesta quarta-feira aos deputados que “a afirmação cínica da Rússia de que é uma montagem se volta contra aqueles que propagam essas mentiras”. Dezenas de corpos de civis foram descobertos na semana passada em Bucha, nos arredores de Kiev, após a partida das tropas russas, causando repulsa mundial.

O Kremlin negou qualquer responsabilidade por essas mortes e afirma que são imagens “falsas”. O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky disse que esses foram os “piores crimes de guerra” cometidos desde a Segunda Guerra Mundial, chamando-os de “genocídio”.

PODCAST MAIS ROCK – O Melhor Programa de Rock do Ceará