No fim da tarde desta terça-feira, 18, em uma sessão bastante agitada foi aprovado o Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações, o PCCR, dos servidores municipais de Iguatu. A sessão teve início dentro da normalidade, com muitos servidores ocupando a casa, além de pessoas interessadas em acompanhar os trabalhos. A votação não contou com a presença de todos os vereadores da bancada de situação, tendo alguns justificado a falta, como o caso de Pedro Lavor, e outros se ausentado voluntariamente, como o caso do vereador Bandeira Jr., que deixou o plenário antes da discussão do projeto. Os demais vereadores da bancada de situação aguardaram a votação e deram voto favorável ao projeto.

A sessão esteve lotada com servidores municipais de Iguatu para acompanhar a votação do projeto. Foto jan Messias
A sessão esteve lotada com servidores municipais de Iguatu para acompanhar a votação do projeto. Foto jan Messias
A sessão também foi marcada novamente por trocas de piadas entre os vereadores Joaquim Ribeiro, da bancada de oposição e os vereadores da situação João Lázaro e Nelho Bezerra. Joaquim afirmou estar sendo provocado pelos dois parlamentares.
Após a conclusão da primeira votação foi convocada uma sessão extraordinária para realizar a segunda votação do projeto e enviá-lo para a sanssão do prefeito Aderilo Alcântara.
Novidade na casa

Leudiane Lavor, PMDB, assumiu a vaga de Francisco Benigno, o Louro da Barra. Ela recebeu 474 votos na última eleição. Foto Jan Messias
Leudiane Lavor, PMDB, assumiu a vaga de Francisco Benigno, o Louro da Barra. Ela recebeu 474 votos na última eleição. Foto Jan Messias

A sessão ordinária também teve a posse da suplente Leudiane Lavor, que assume a vaga de Francisco Benigno, o Louro da Barra. Leudiane, de 25 anos, recebeu 474 votos pelo PMDB. Com a novata a câmara conta com 3 mulheres entre os 17 vereadores. Após o juramento ela foi cumprimentada pelos colegas da casa. As vereadoras Cida Albuquerque e Eliane Lavor, da bancada da situação, foram até a bancada de situação abraçar a nova colega. Em sua fala Cida deu as boas vindas a Leudiane e afirmou ter muito trabalho pela frente, ressaltando as pautas que dizem respeito às mulheres. “Seja muito bem vinda e vamos trabalhar pela nossa cidade, porque acredito que temos muitas pautas importantes e teremos muito o que defender das mulheres da nossa cidade”, afirmou.

Antônio Baixinho, em sua fala de boas vindas pediu que a novata não ligasse para as brigas entre os vereadores. “Eu peço que você não ligue, que aqui é desse jeito mesmo, mas acho que a gente pode fazer um bom trabalho”, disse Baixinho. A nova vereadora, em sua primeira fala teceu elogios à gestão e ao prefeito Aderilo, além de fazer referências à sua família. Louro da Barra solicitou afastamento para assumir cargo no executivo municipal.
Vaias e aplausos
No momento da discussão do projeto a câmara esteve bastante agitada, com vereadores da situação sendo vaiados sempre que defendiam que o PCCR era fruto da bondade do preifeito. Em alguns momentos o presidente da câmara, Rubenildo Cadeira, teve que solicitar aos presentes ordem para que os trabalhos seguissem. A bancada de oposição foi bastante aplaudida ao lembrar que o projeto foi fruto de uma luta que chegou a ser classificada como “quatro gatos pingados”. O vereador Joaquim Ribeiro, em sua fala, destacou os quase 3 meses de greve que levaram à construção do projeto votado. “Isso aqui é vitória de vocês, porque se dependesse do preifeito nem concursado tinha nessa cidade”, lembrou.
Reprecussão do projeto
Nos corredores da Câmara o clima era de ansiedade pela votação do projeto. Mauricélio Rocha, membro do sindicato dos servidores, destacou a importância da luta dos servidores. Para ele esses direitos já deveriam estar valendo. “Isso aqui é resultado de muita luta. Não tem bondade de prefeito, mas muita luta. Se fosse bondade a gente não teria ficado mais de 100 dias de greve”, afirmou. A vereadora Cida Albuquerque comemorou a conquista, mas lembrou que ainda há o que buscar. “O plano é uma vitória, mas ainda existem pautas que os servidores certamente vão procurar conquistar também”, disse. O vereador Antônio Baixinho lembrou que houve diálogo por parte da gestão e também comemorou a conquista dos servidores. “O prefeito Aderilo foi muito feliz com esse projeto que é um direito, mas que precisou dele para chegar até aqui”, disse o vereador.
Pablo Neves, também do movimento grevista, comemorou a vitória, mas lembrou da luta travada. “Foi um caminho longo, principalmente com ameaças, remoções arbitrárias, abusos, mas nós vencemos. Esse projeto é um começo, mas a luta continua”, disse.
Entenda o projeto
O Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações, PCCR, é fruto de uma greve que se estendeu por quase 3 meses, um fato inédito na cidade. Durante o período o prefeito Aderilo Alcântara se afastou das negociações, as deixando ao encargo de um representante. Nesse período os servidores realizaram diversos atos pela cidade. O projeto foi desenvolvido por uma consultoria de Fortaleza, paga pelo sindicato. Além do atual PCCR os servidores buscam também a conquista de auxílios garantidos por lei, mas ainda não pagos.