(Foto: Divulgação)

O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) ainda não marcou data para eleições suplementares no Ceará em 2022. Cinco prefeituras vivem impasse judicial sobre como ficará o comando do Executivo municipal. Apenas Baixio teve todos os recursos julgados a nível estadual e já pode ter novo pleito agendado.

Com os prefeitos cassados, Pacujá e Iguatu ainda aguardam o julgamento dos embargos pelo TRE-CE, após Tribunal confirmar a cassação. Já em Coreaú e Nova Russas, os prefeitos conseguiram liminar que suspendeu a decisão de cassação da Corte estadual e manteve os gestores eleitos em 2020 no cargo.

Em 2022, existem apenas mais duas datas autorizadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para realização de eleições suplementares: 27 de novembro e 11 de dezembro.

O TRE-CE enviou pedido ao TSE para que possa realizar eleição suplementar no dia 30 de outubro – mesma data do segundo turno. Contudo, segundo a assessoria de imprensa do TRE, isso não significa que o pleito será realizado.

“A realização ou não depende ainda da resolução a ser elaborada pelo TRE”, diz nota da Justiça Eleitoral. “(A data) Só se confirmará com resolução do TRE que definirá o cronograma”.

ELEIÇÕES SUPLEMENTARES NO CEARÁ

No Ceará, foram realizadas seis novas eleições para substituir prefeitos eleitos em 2020, mas cassados pela Justiça Eleitoral. Todas as votações suplementares ocorreram em 2021.

Os eleitores de Pedra Branca, Missão Velha, Martinópole, Jaguaruana, Viçosa do Ceará e Barro escolheram novos gestores municipais no ano passado.

Fonte: Diário do Nordeste