Nesta quarta-feira, 11, o Museu de Fósseis de Santana do Cariri, da Universidade Regional do Cariri (Urca), receberá um fóssil brasileiro com mais de 100 milhões de anos, que foi repatriado após ser retirado clandestinamente do Brasil. A peça histórica foi encontrada em um leilão italiano na Internet e será entregue pelo Ministério Público Federal (MPF) depois de passar por procedimento instaurado em 2020.

O artefato consiste em um peixe fossilizado oriundo da Chapada do Araripe, no Cariri cearense. Ele é datado do período Cretáceo e está avaliado em quase 3 mil euros (R$ 16 mil, aproximadamente). A partir da entrega, o fóssil passará a compor o acervo do museu.

Ao O POVO, o professor Allysson Pinheiro, diretor do Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens, destaca que o Ceará é privilegiado do ponto de vista das bacias fossilíferas. Especialmente no Cariri, muitos fósseis são encontrados e com grande qualidade em termos de preservação das suas características.

“Para o Estado, a repatriação é uma grande vitória, porque é um patrimônio histórico e cultural brasileiro e cearense. Mas, para além disso, é uma parte da identidade do povo do Cariri que também é resgatado”, afirma.

A peça recuperada pelo MPF pertence ao grupo de formação fóssil Santana, um dos principais sítios paleontológicos do mundo e reconhecidamente uma das jazidas fossilíferas com a maior diversidade de material excepcionalmente preservado. Na peça, por exemplo, é possível notar a riqueza de detalhes de tecido mole e até as escamas do peixe.

Serviço
Entrega de fóssil repatriado da Itália para o Museu de Fósseis de Santana do Cariri
Data: Quarta-feira, 11 de maioHora: 14h30Local: Procuradoria da República em Juazeiro do Norte

 

 

Fonte: O Povo