(Foto:Reprodução)

Ano novo é tempo de reflexões e recomeços. A virada de 2019 para 2020, como em todo 31 de dezembro, chega acompanhada de renovações de pensamentos e metas. A retrospectiva do ano que passou vira projeção do que se esperar nos 365 dias seguintes. É com esta perspectiva que Ceará e Fortaleza se planejam para uma temporada que promete ser das mais empolgantes para o futebol do Estado.

A começar pela questão financeira. Ambos terão orçamentos recordes neste ano, o que permitirá possibilidades de investimentos mais altos e inéditos. Os orçamentos projetados por Vovô e Leão para 2020, aprovados por unanimidade pelos Conselhos Deliberativos, são os maiores da história dos clubes, com R$ 100 milhões e R$ 109 milhões em montante, respectivamente.

Ao mesmo tempo, as cobranças também serão maiores. Bem como as metas, que se desenham de forma mais expressivas para 2019.

O Ceará tem o desafio e a necessidade de superar a péssima temporada que fez em 2019. As cobranças da torcida são altas após um ano inteiro sem nenhum título e que teve objetivos frustrados. Por isso, o clube já traçou planejamento que deverá ser ainda mais minucioso para que os resultados sejam positivos.

Campeonato Cearense e Copa do Nordeste, o objetivo é de chegar, no mínimo, às finais. Conquista dos títulos será considerado sucesso no primeiro semestre. Na primeira competição nacional do ano, a Copa do Brasil, o Vovô definiu como aceitável atingir pelo menos a 4ª fase da disputa, que garante mais visibilidade, representatividade e também retorno financeiro, com as cotas recebidas a cada avanço.

O grande objetivo, porém, será a Série A do Campeonato Brasileiro. O Vovô vai para o terceiro ano seguido na elite do futebol nacional, algo inédito no Estado, e busca mais tranquilidade após duas temporadas em que o rebaixamento esteve próximo. A meta é terminar na primeira metade da tabela, atingindo a 10ª colocação, até pela questão financeira (cada colocação acima representa mais dinheiro recebido em premiação). Ficar um pouco atrás, mas com vaga para a Copa Sul-Americana, também será resultado considerado satisfatório.

Apesar do desejo, a diretoria alvinegra sabe que, antes de tudo, terá que garantir a manutenção na Primeira Divisão, que é a meta prioritária do clube na competição.

Para isso, os investimentos serão pesados, com cerca de R$ 59 milhões destinados a investimentos no Departamento de Futebol.

As metas, porém, traçam objetivos também fora de campo. “A gente vai se planejar melhor em 2020 e buscando uma aproximação maior com o torcedor. Já tivemos a marca própria, que foi um primeiro passo, e teremos outras ações para fortalecer isso. Melhorar o relacionamento com o nosso torcedor também é uma meta nossa”, destacou o vice-presidente do clube, Raimundo Pinheiro.

Desafio Tricolor

No lado do Fortaleza, a missão é repetir o vitorioso e histórico 2019. Com títulos do Campeonato Cearense e da Copa do Nordeste, o Leão do Pici buscará o bicampeonato nas duas competições, mas sabendo que a dificuldade será ainda maior. Por isso, o discurso da diretoria leonina é que, apesar das vitórias recentes, é preciso manter os pés no chão. Portanto, chegar à final do Estadual e nas semis do Nordestão, porém, já é considerado aceitável para a diretoria leonina.

(Foto:Reprodução)

Já na Copa do Brasil, qualquer avanço é sucesso, uma vez que o Leão entra diretamente nas oitavas de final pelo título da Copa do Nordeste de 2019.

Porém, para o ano que vem, a possibilidade de conseguir passar de fase é maior pelo fato de que não enfrentará logo de cara um adversário que disputou a Libertadores, podendo encarar qualquer um dos times que estarão nas oitavas. Além disso, o Fortaleza terá uma inédita participação em competição internacional pela frente.

A Copa Sul-Americana entrou na conta como “bônus” e passar de qualquer fase será considerado excelente, sobretudo pela dificuldade que terá logo na etapa inicial, enfrentando o Independiente, da Argentina, maior campeão da história da Taça Libertadores (com sete títulos) e bicampeão da Sul-Americana.

Mas o grande objetivo leonino em 2020 é, indiscutivelmente, a Série A do Campeonato Brasileiro. Após uma surpreendente campanha, neste ano, coroada com a 9ª colocação, a melhor entre os nordestinos participantes, a equipe comandada pelo técnico Rogério Ceni chega com credenciais para surpreender novamente. Entretanto, no planejamento estratégico interno do clube, a prioridade máxima da equipe será alcançada com a permanência na elite do futebol nacional por mais uma temporada.

“O nosso maior objetivo é permanecer na Série A, o que vier a mais é muito bom. Vimos que é possível brigar por algo maior com um time ajustado e competitivo, mas não posso prometer. De verdade, nada além da permanência na Série A está no nosso planejamento estratégico para 2020”, faz questão de ressaltar o presidente Marcelo Paz.

No caminho de crescimento e de gestões organizadas que Ceará e Fortaleza adotaram na reta final desta década, é possível, sim, sonhar que 2020 resguarda coisas ao futebol cearense.

Fonte: Diário do Nordeste