Vai começar em 13 de dezembro a segunda fase da implantação da Carteira de Trabalho Digital (CTPS). Quem precisar tirar o documento precisa se apressar pois no período de 13 a 29 de dezembro o sistema do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), no Ceará, ficará fora do ar para que seja atualizado e integrado à rede nacional. Durante esse período, a emissão de novas carteiras e a segunda via das antigas ficarão suspensas. Para tirar a carteira nesse período, é preciso realizar agendamento pela internet e participar de um mutirão.

 

Lançada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), a nova Carteira de Trabalho Digital traz como benefícios ao cidadão a entrega do documento no ato da solicitação e a integração das informações de diversos bancos de dados do governo federal.  O novo sistema da CTPS Digital tem validação nacional dos dados do trabalhador. Isso garante mais segurança ao documento e ao trabalhador, que tem todas as suas informações cruzadas e analisadas no ato na solicitação da carteira.

No Ceará,  são emitidas cerca de 20 mil carteiras de trabalho por mês. Para tirar o documento, é necessário primeiro fazer o agendamento  no site da Superintendência Regional do Trabalho, no Ceará. No dia marcado, o trabalhador deve comparecer  munido da Carteira de Trabalho, Certidão de Nascimento e uma fotografia 3×4. Para a segunda via, é necessário ainda o Boletim de Ocorrência (B.O) e o extrato do FGTS.

A mudança faz parte da etapa final de implantação do novo sistema, em que a CTPS é confeccionada e entregue na hora. Para atender àqueles que precisam do documento ainda este ano, a superintendência Regional do Trabalho no Ceará montou um esquema de mutirão e vai atender também neste e nos próximos sábados, mas antes é preciso fazer o agendamento.

De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego quem já tem o documento não precisa se deslocar até as agências do MTE para emitir uma nova carteira. A antiga permanece válida. Somente no caso de uma segunda via ou da emissão da primeira via é que ocorre a impressão e validação pelo novo sistema.

Fonte: G1