Nos primeiros cinco dias de junho, já choveu no Ceará quase o dobro do esperado para o mês inteiro, de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). A média é de 37,5 milímetros; já o observado até o momento é de 61,3 milímetros.

Ainda segundo a Funceme, a última vez que foi registrado um desvio positivo no mês de junho foi em 2013 quando no mês todo foi observado 62,6 milímetros.

A região que mais recebeu precipitação foi o Litoral de Fortaleza com 109.8 milímetros. Em seguida aparecem (Ibiapaba (63,6 milímetros), Sertão dos Inhamuns (63,1 milímetros) e Litoral Norte (53,1 milímetros).

Pós-estação: chuvas podem continuar
O principal período de chuvas no Ceará concentra-se entre os meses de fevereiro e maio, quando costumam ocorrer 75% das precipitações do Estado. Porém, segundo a Funceme, mesmo que reduzidos, mais acumulados são esperados até julho, quando acontece a pós-estação. Nestes dois meses, a média histórica é de 52,9 milímetros.

“Então, não é porque terminou a estação chuvosa, que também encerraram as precipitações aqui no estado. Julho e julho continuam a ocorrer precipitações. A chuva vai a ser associada a outros eventos, como a formação de áreas de instabilidade, principalmente sobre o oceano. Elas se deslocam, se aproximam da nossa costa, levando a formação das nuvens de chuva e aí a ocorrência de precipitações às vezes até bastante intensas”, explica a gerente de meteorologia da Funceme, Meiry Sakamoto.

Fonte: G1 CE

https://open.spotify.com/episode/0EFi7yPmYRoFAhRE9jC6uT