O inquérito revela que a mulher trabalharia em uma academia de ginástica no mesmo horário que deveria prestar expediente na Assembleia Legislativa. O parlamentar informou que está “tranquilo e preparado para prestar os esclarecimentos”

André Fernandes informou que não recebeu nenhuma notificação do MPCE, até a publicação da matéria pelo G1.

A denúncia do MPCE aponta que a funcionária, identificada como Maria Geane Pinheiro Moraes, é assessora parlamentar de André Fernandes, mas trabalha em uma academia de ginástica de Fortaleza no mesmo horário do expediente da Assembleia.

Maria Geane começou a exercer a função de assessora parlamentar de André Fernandes em 2 de janeiro de 2020, como consta em documento anexo ao processo. Ela seria esposa de Felipe Alves da Silva, amigo e gestor financeiro do deputado, conforme o MPCE, o que configuraria também nepotismo — com o agravante da suspeita da mulher não prestar o serviço.