(Foto: Reprodução)

O superintendente da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE), Marcelo Alcantara, ministrou, nos últimos dias 20 e 21 de maio, aula para o Curso de Especialização Suporte Ventilatório no Doente Crítico Adulto, na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, em Portugal. O convite partiu da própria instituição de ensino superior, em parceria com a Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP).

Na bagagem para a Europa, viajou também o já conhecido e reconhecido pelos cearenses capacete de respiração assistida Elmo, que foi apresentado aos alunos como dispositivo não invasivo de respiração assistida.

Para o professor da Universidade do Porto, Miguel Gonçalves, “ver o trabalho ao vivo do professor Marcelo Alcantara com o Elmo foi extraordinário”. “Ver o poder de superação da sua equipe contra as adversidades que a covid-19 criou no estado do Ceará foi muito emocionante. Ver a forma como a equipe reagiu, como inventaram o Elmo, como salvaram milhares e milhares de vidas é claramente uma inspiração. Ficamos realmente muito gratos”, disse.

Idealizado por Marcelo Alcantara em 2020, o equipamento pode ter salvo até 40 mil vidas durante os períodos mais críticos da pandemia de covid-19. Com a eficácia comprovada e os bons resultados obtidos entre pacientes com a doença respiratória, o projeto também foi considerado o melhor case de inovação do País, após votação popular no último mês de março. “Os alunos assistiram à apresentação da história do capacete, experimentaram o Elmo e aprenderam, na prática, como funciona”, explicou o superintendente da autarquia vinculada à Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

Genuinamente cearense, o dispositivo é fruto de uma força-tarefa que envolve uma parceria público-privada, surgindo como um novo passo para o tratamento de pacientes com insuficiência respiratória aguda hipoxêmica.

Fonte: Governo do Ceará