Chegar bêbado em casa ou usar uma rede social no bar e acabar falando mais do que deveria … Para evitar maiores confusões, pesquisadores da University of Rochester, nos Estados Unidos, desenvolveram um novo algoritmo capaz de identificar quando as pessoas estão usando o Twitter alcoolizadas. O estudo americano foi publicado no último dia 10 de março e envolveu milhares de tuítes.

Ao todo, foram coletados dados de cerca de 11 mil tuítes com localização nas áreas de Nova York e Monroe County. O algoritmo foi configurado para filtrar algumas palavras-chave relacionadas ao álcool, como “bêbado”, “cerveja” e “festa”, e o grupo de estudo usou o serviço de crowdsourcing da Amazon, Mechanical Turk, para analisar todas as publicações marcadas com essas palavras-chave.

Eles também definiram parâmetros para que o algoritmo identificasse quando os tuítes eram enviados das casas dos usuários, logo após eles chegarem de possíveis locais onde ficaram bêbados. Para cada tuíte, foi feito um estudo minucioso, com o intuito de entender o que se posta ao estar bêbado e de onde os posts são feitos: se só dos locais onde ocorrem as festas ou se das casas das pessoas.

Após todo este trabalho, destacaram que o público de NY bebeu muito mais do que os de Monroe County. Além disso, a maior proporção das pessoas bebe em casa, ou perto dela, na Big Apple, o oposto do que acontece na outra região, quando as pessoas procuram bares mais longe. Os resultados são apenas uma amostra do que o algoritmo pode fazer ao monitorar as pessoas e de como cada cidade tem perfis diferentes; quem sabe, no futuro, alertar os usuários e evitar complicações.

“Podemos explorar o comportamento dos bêbados para descobrir como as interações sociais e a pressão que as mídias sociais influenciam na tendência a beber, além de uma série de informações que podem criar padrões de acordo com os tipos de pessoas e cidades analisados”, explicam os estudiosos no projeto.

Nos Estados Unidos, cerca de 75 mil pessoas morrem devido a problemas com o álcool anualmente, e estudos como este visam entender melhor como é o comportamento de quem sofre com o alcoolismo. Até porque beber e usar redes sociais pode não só gerar posts vexatórios como também causar fatalidades, como na combinação perigosa de beber e dirigir e ainda usar um celular para ver as redes sociais.

Fonte: TECHTUDO