Com três prisões na quarta-feira, 30, as forças de segurança pública de Iguatu, por meio das polícias civil e militar, apresentaram o resultado de mais uma operação. Denominada de “Operação Fénix integrada II”, a ação foi destinada a intensificar as rondas e abordagens nos bairros mais críticos da cidade de Iguatu e região.

O nome da operação é referência ao trabalho de apoio aéreo da aeronave Fénix da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), que realizou um sobrevoo nos Bairros Vila Neuma, Vila Moura, Jardim Oásis, João Paulo II, Santo Antônio e Vila Penha conjuntamente com as viaturas.

Mandados de Prisão e Busca e Apreensão foram cumpridos. Os nomes de duas pessoas foram divulgados. Ambas detidas na cidade de Jucás. O departamento investigativo, informa que de janeiro a março deste ano as somas das operações resultaram em 30 prisões.

Jerônimo Gomes Pereira, 56, acusado de praticar o crime de estupro de vulnerável na cidade de Iguatu no ano de 2017 e Francisco Alves de Moura, 35, acusado de assassinar um jovem de apenas 16 anos no estado do Amapá no ano de 2009, foram presos.

No Sítio Cardoso II, na zona rural de Iguatu, a Polícia apreendeu um revólver de ‘airsoft’, idêntico ao original, que estava sendo utilizado na prática de crimes na cidade. “A ação visa coibir a ocorrência de assaltos, homicídios e o tráfico de drogas na região. Por fim, as Forças de Segurança comunicam que essas ações serão realizadas de forma periódica com a finalidade de combater a criminalidade e trazer mais paz e tranquilidade para a região”, resumiu Wesley Alves, delegado de Iguatu.