Segundo a mãe do jovem, ele tinha um sonho de ser militar. O rapaz era filho de um vereador por Capistrano

Um soldado do Exército Militar, de 19 anos, morreu durante um treinamento, no Quartel localizado em Penedo, em Maranguape, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), na tarde da última quinta-feira (21). O caso é investigado pelo Exército e pela Polícia Civil do Ceará (PCCE). Segundo a mãe do jovem, ele tinha um sonho de ser militar.

A 10ª Região Militar (que abrange o Ceará) emitiu nota em que lamenta “o falecimento, em atividade de instrução, no dia 21 de outubro, do Soldado Wanderson de Holanda Nogueira, da 16ª Companhia de Polícia do Exército (16ª Cia PE)”.

(Foto: Reprodução)

O Comando da 10ª RM e o da 16ª Cia PE estão prestando todo o apoio à família do militar. As circunstâncias que envolveram a irreparável e precoce perda estão sendo devidamente apuradas”.
10ª REGIÃO MILITAR

A reportagem apurou, com uma testemunha do caso, que existe a suspeita de que outro militar teria batido a cabeça de Wanderson Holanda em uma pedra durante um treinamento, causando a morte.

Wanderson é filho do vereador por Capistrano, Pedro Miguel. O prefeito do Município, Junior Saraiva, emitiu uma nota em que lamenta o falecimento do jovem.

Neste momento de dor, o prefeito em nome de toda a administração, apresenta suas condolências aos familiares, amigos e registra a grande perda para todos que o conheceram”.
PREFEITURA DE CAPISTRANO

Questionada sobre o caso, a Polícia Civil do Ceará confirmou que “apura uma morte suspeita” registrada em Maranguape. “Conforme relato do Boletim de Ocorrência (BO), um homem de 19 anos passou mal durante um treinamento do Exército Brasileiro, quando foi socorrido por uma ambulância e encaminhado para uma unidade hospitalar, onde foi a óbito”, diz a nota.

“O laudo indicando a causa da morte é conduzido pela Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). O caso foi registrado na Delegacia Metropolitana de Maracanaú e transferido para Delegacia de Polícia de Maranguape”, completa a Polícia Civil.

Um soldado do Exército Militar, de 19 anos, morreu durante um treinamento, no Quartel localizado em Penedo, em Maranguape, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), na tarde da última quinta-feira (21). O caso é investigado pelo Exército e pela Polícia Civil do Ceará (PCCE). Segundo a mãe do jovem, ele tinha um sonho de ser militar.

A 10ª Região Militar (que abrange o Ceará) emitiu nota em que lamenta “o falecimento, em atividade de instrução, no dia 21 de outubro, do Soldado Wanderson de Holanda Nogueira, da 16ª Companhia de Polícia do Exército (16ª Cia PE)”.

O Comando da 10ª RM e o da 16ª Cia PE estão prestando todo o apoio à família do militar. As circunstâncias que envolveram a irreparável e precoce perda estão sendo devidamente apuradas”.
10ª REGIÃO MILITAR

A reportagem apurou, com uma testemunha do caso, que existe a suspeita de que outro militar teria batido a cabeça de Wanderson Holanda em uma pedra durante um treinamento, causando a morte.

O soldado Wanderson de Holanda Nogueira tinha 19 anos e também era lutador de muay thai

Wanderson é filho do vereador por Capistrano, Pedro Miguel. O prefeito do Município, Junior Saraiva, emitiu uma nota em que lamenta o falecimento do jovem.

Neste momento de dor, o prefeito em nome de toda a administração, apresenta suas condolências aos familiares, amigos e registra a grande perda para todos que o conheceram”.
PREFEITURA DE CAPISTRANO
Em nota publicada nas redes sociais


Questionada sobre o caso, a Polícia Civil do Ceará confirmou que “apura uma morte suspeita” registrada em Maranguape. “Conforme relato do Boletim de Ocorrência (BO), um homem de 19 anos passou mal durante um treinamento do Exército Brasileiro, quando foi socorrido por uma ambulância e encaminhado para uma unidade hospitalar, onde foi a óbito”, diz a nota.

“O laudo indicando a causa da morte é conduzido pela Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). O caso foi registrado na Delegacia Metropolitana de Maracanaú e transferido para Delegacia de Polícia de Maranguape”, completa a Polícia Civil.

A comerciante Liduína Holanda, mãe de Wanderson, conta que foi comunicada pelo Exército, na tarde de quinta-feira (21), que o filho tinha passado mal e que ela precisava vir a Fortaleza. Mas quando os familiares chegaram na Capital, o jovem já estava morto.

Era um sonho que ele tinha. Um sonho que causou a vida dele. Ele dizia que o treinamento era muito pesado. E eu dizia ‘por que tu quer?’. ‘É meu sonho, tenho que realizar meu sonho’, ele dizia”.
LIDUÍNA HOLANDA
Mãe do soldado Wanderson

A mãe de Wanderson conta que ele não tinha problemas de saúde e era lutador de muay thai. A causa da morte a intriga, já que ela recebeu apenas a informação de que ele “passou mal”.

“Isso não pode acontecer, o adolescente morrer dentro do Exército! É uma falta de responsabilidade! Foram eles que mataram meu filho. Tem que ser investigado. Isso foi uma injustiça, não quero que aconteça com outro jovem”, suplica.

Fonte: Diário do Nordeste