(Foto: Cedida pelos organizadores)

Nesse manhã de quarta-feira (30/01), um grupo formado por empresários, construtores, engenheiros, trabalhadores da Construção Civil como pedreiros, serventes e outros, esteve em frente a Caixa Econômica Federal de Iguatu usando faixas e carro de som em manifesto contra paralisação dos recursos do programa de financiamento da casa própria do Governo Federal, “Minha Casa, Minha Vida”.

Cerca de 100 pessoas participaram da ação. Os representantes informaram que o entrave dos recursos não se trata de um problema local, e sim do Governo Federal que não libera os valores para finalizar os processos.

Kaoma Pereira, proprietário de uma construtora em Iguatu desabafou em entrevista a Rádio Mais FM que: “Nós estamos há 60 dias sem receber nada, ou seja, construtora como a minha que já demitiu mais de 30 funcionários, próxima semana deverá afastar mais 30 e poucos, deixa aí 60 pais de família sem emprego”. Ele ainda lembrou que um dos donos de loja de material de construção de Iguatu dizia que não iria mais fornecer produtos pela incerteza dos pagamentos.

Segundo informações dos envolvidos no ato de hoje, o subsídio do governo não é repassado desde novembro de 2018 e não existe data prevista para liberação dos contratos. São engenheiros e arquitetos sem projetos, pedreiros e serventes sem construir, corretores sem vender, entre outros. Toda a rede está afetada com o atraso.