Os ‘profetas das chuvas’ se reuniram na manhã desta sexta-feira (6) no Encontro de Guardadores de Sementes e Experiências de Chuvas, evento que acontece há 21 anos, no Terreiro dos Ancestrais, no Sítio de Aroeiras, zona rural de Orós, no Interior do Ceará.

De acordo com Zé Vicente, idealizador do encontro, as previsões para o inverno deste ano são “preocupantes“, já que os sinais de chuva foram “inconstantes“.

“Eu acho que a tônica desse ano é de um pouco de preocupação com os sinais, que foram muito inconstantes, tanto do Aracati como os outros sinais da natureza. Foram sinais inconstantes com chuvas em novembro, o que para nós, nessa região, não é tão bom. Melhor a chuva em outubro, pois as chuvas de novembro atrasam o inverno”, ressalta Zé Vicente.

 

ESPERANÇA DE MELHORA DO INVERNO EM MARÇO E ABRIL

Ele ainda diz que as previsões indicam que as precipitações em janeiro e fevereiro não sejam tão intensas, mas que deve haver uma melhora em março e abril e também em maio e junho. “O inverno dos teimosos”, definiu o organizador.

O agricultor Hézio Barros, que faz a experiência de Santa Luzia, também afirma que em janeiro e fevereiro o Ceará irá presenciar um inverno mais “ameno”, mas que após esse período teremos boas precipitações.

REGULAR

Já Hélder Cortês, diretor da Cagece e idealizador do Encontro de Profetas de Quixadá, diz que teremos neste ano um inverno “regular“.

“No ano passado todos acertaram, tivemos um inverno extraordinário, mas este ano a previsão não será igual ao do ano passado, será menor, teremos alguns veranicos, mas de um modo geral será um inverno regular”, acredita.

Zé Vicente define o evento com os ‘profetas’ como o fortalecimento da cultura regional.

“Com toda a humildade, digo para vocês que nós, hoje, nos sentimos garantindo, atualizando e cuidando, como se cuida de uma roça, de cultivo, as nossas memórias boas, sagradas”, diz o idealizador.

Fonte: Diário do Nordeste