Leveza, irreverência e perspicácia na arte de fazer rir a típica comicidade cearense estão presentes em cada página que enche o leitor de alegria e faz rir à toa. “O Direito de Rir VIII” lançado na quarta-feira, 27, no Rotary Club de Iguatu, é mais uma publicação da coletânea que segue com inovações às anteriores, apresentando centenas de piadas, cuja fonte principal são as histórias do Iguatu, seus personagens.


Giovani de Oliveira não quer parar e já anuncia que outra obra – (Foto Thiedo Henrique/Mais FM)

O autor Giovani de Oliveira coleciona causos, narrativas humorísticas pelo sertão a fora. Com habilidade e talento, dá um molho especial na redação das piadas. Muitas delas são reescritas a partir de personagens e acontecimentos do Iguatu, sua cidade berço, e o munem de muitas situações cômicas. “Meus personagens são daqui e minhas raízes também. Iguatu pra mim é meu solo, pátria e estar aqui é prazeroso e emocionante”, afirmou.

Neo Pinel

O lançamento contou com a participação do músico e compositor Neo Pinel.  Conhecido pelo jeito extrovertido nos palcos e pelas músicas bem-humoradas com um vocabulário totalmente “cearês”, o cantor conquistou o Brasil na década de 90 com o sucesso “Rural”, mais conhecida pelo trecho “Arrumamalaê” – uma mistura de música árabe com elementos da música nordestina. “Motivo de muito agradecimento em poder participar do lançamento desse meu amigo de infância. Vivo do humor colocando o gênero nas minhas composições e beber dessa fonte e conviver com toda essa turma é revigorante”, ressaltou.

O oitavo volume de “O Direito de Rir” marca a consolidação do autor no campo dos humoristas cearenses, que se dedicam por meio da pesquisa à arte de escrever causos alegres, fáceis e atuais. “Humor pra mim é coisa séria. Fazer humor não é colocar palavrão em piadas. É brincar com as próprias limitações. Fazer isso é começo da salvação”, afirmou o escritor.

Autoridades, políticos e empresários acompanharam o lançamento da edição. Assim como figuras conhecidas do município como José Hilton ou popular ‘Pivete’, filho do empresário Teté Dias, ambos protagonistas de diversas piadas e causos da coletânea. “É uma honra grande fazer parte de seus contos. Ele é uma figura impoluta. Fico feliz em confraternizar com ele em mais um momento belíssimo” disse Pivete.

Fonte inesgotável

Giovani de Oliveira não quer parar por aqui. Já anuncia que outra obra virá. Afinal, a fonte do humor a partir da observação do cotidiano, do comportamento das autoridades e das pessoas comuns não cessa. “Já iniciamos esse processo. Com certeza teremos a nona edição”, garantiu Giovani.

Para os leitores, uma publicação agradável, sobretudo, oportuna, nesses tempos de violência, acirramento político e tragédias.