O diretor do Instituto Butantan manifestou indignação pela decisão da Anvisa de suspender os estudos clínicos da Coronavac.

Dimas Covas reafirmou que o efeito adverso grave, responsável pela interrupção do estudo, não tem relação com a vacina.

Ele também afirmou que foi notificado da suspensão dos testes pela imprensa. “Recebemos a notícia da imprensa sem ter a possibilidade de poder ter uma a avaliação prévia dos fatos. Isso só aconteceu nesta manhã. Não seria mais justo ligar e esclarecer primeiro, não seria mais justo, mais ético, mais compreensível?”

Os dados do paciente e quais foram as reações adversas não foram divulgados.

O coordenador-executivo do Instituto Butantan, João Gabbardo, também se manifestou: “O que nos choca é que enquanto alguns estão correndo e fazendo o que é possível, outros torcem contra.”

Ele mencionou que no mesmo dia em que o governo de São Paulo apresentou o início de obras e envio das primeiras doses, eles receberam a notícia da suspensão dos estudos clínicos.

Diretor criticou que algumas pessoas festejam o aparecimento de um óbito para tentar desmoralizar a vacina.

Mais cedo, o presidente atacou a CoronaVac e disse: “Mais uma que Jair Bolsonaro ganha”.

Gabbardo integrou a equipe do Ministério da Saúde de Bolsonaro durante a gestão de Luiz Henrique Mandetta.

Fonte: Band Notícias