This picture taken on April 11, 2020 and released from North Korea's official Korean Central News Agency (KCNA) on April 12, 2020 shows North Korean leader Kim Jong Un speaks during a meeting of the Political Bureau of the Central Committee of the Workers' Party of Korea (WPK) in pyongyang. (Photo by STR / KCNA VIA KNS / AFP) / South Korea OUT / ---EDITORS NOTE--- RESTRICTED TO EDITORIAL USE - MANDATORY CREDIT "AFP PHOTO/KCNA VIA KNS" - NO MARKETING NO ADVERTISING CAMPAIGNS - DISTRIBUTED AS A SERVICE TO CLIENTS / THIS PICTURE WAS MADE AVAILABLE BY A THIRD PARTY. AFP CAN NOT INDEPENDENTLY VERIFY THE AUTHENTICITY, LOCATION, DATE AND CONTENT OF THIS IMAGE --- /

Os rumores em torno da morte do ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, cresceram neste final de semana, depois que fontes confirmaram à agência de notícias Reuters que médicos militares integram uma delegação chinesa em visita a Pyongyang para assessorar o tratamento médico de Kim. Na semana passada, militares americanos disseram que o líder estava “em grave perigo após uma cirurgia”.

Até o momento, não se pode afirmar nada com certeza. Só se sabe que a última vez que Kim Jong-un compareceu a um ato oficial foi no último dia 11, ao presidir uma reunião do Partido dos Trabalhadores da Coreia. A ausência do ditador nas comemorações do 108º aniversário do nascimento de seu avô, o fundador do regime norte-coreano Kim Il-sung, em 15 de abril, levantou dúvidas sobre sua saúde.

O Daily NK, um meio de comunicação digital integrado por norte-coreanos que fugiram do país, diz que o líder de Pyongyang foi operado em abril por problemas cardiovasculares e está convalescendo. Fontes militares dos Estados Unidos também confirmaram a informação à emissora CNN.

No entanto, autoridades sul-coreanas e chinesas negaram essa informação na semana passada. Um alto funcionário de Seul citado pela agência de notícias Yonhap disse anonimamente que “não era verdade” que Kim Jong-un estivesse gravemente doente.

Mas a ausência do dirigente persiste, e os rumores aumentam. Três fontes afirmaram à agência Reuters que uma delegação chinesa, encabeçada por um alto funcionário do Escritório de Ligação do Partido Comunista, viajou na quinta-feira 23 a Pyongyang. Entre seus membros, estavam médicos militares.

A revista japonesa Shukan Gendai chegou a dizer que Kim encontra-se em “estado vegetativo”. Citando fontes da imprensa chinesa e japonesa, o site norte-americano TMZ afirmou que o líder supremo norte-coreano teria morrido na madrugada deste domingo.

Fonte: Veja