Depois de nadar por aproximadamente quatro horas em um trajeto de 21km, Jairo Oliveira, de 36 anos, diz que o maior medo quando estava em alto mar era de animais marinhos. O guarda-vidas agradeceu aos colegas bombeiros e disse que pensou na família para continuar nadando até terra firme. Ele salvou um turista francês de afogamento na Praia de Jericoacoara e acabou sendo levado pelo mar após o jet ski que estava por causa de uma linha enganchada.

“Você sozinho ali no mar, começa a pensar besteira, que não vai conseguir. Só que aí é o momento de você refletir e pensar nas pessoas que estão ali fora esperando a sua chegada”, contou Jairo durante entrevista nesta quarta-feira, 8. Na terça, após estar a salvo, ele foi promovido por bravura.

Jairo conta que o preparo físico foi importante para que ele conseguisse nadar até encontrar um povoado, mas a questão psicológica foi fundamental na trajetória. Para se manter motivado ao longo dos 21 quilômetros de natação, ele pensava em sua família. Queria contar para os seus parentes que estava bem, que estava vivo.

O maior medo do bombeiro eram os animais marinhos. Ele relata que em determinado momento alguns peixes começaram a beliscar seu corpo. Jairo ficou com receio de começar a sangrar e acabar atraindo algum animal maior.

Quando perguntado sobre o que pretende fazer no futuro, ele diz que quer continuar na profissão. “Desde que entrei nos Bombeiros eu abracei a missão e é uma atividade que gosto de fazer”, afirma.

Jairo teve que nadar 21 quilômetros para ser resgatado

Após resgatar um kitesurfista francês, nessa terça-feira, 6, o bombeiro foi buscar seu equipamento profissional e, nesse momento, uma linha enganchou no seu jet ski. Isso fez com que ele ficasse à deriva e se afastasse da costa. Ele, então, pulou de sua moto aquática e nadou até a terra firme. Jairo foi localizado na Praia de Tatajuba em Camocim, cerca de 21,3 km de onde desapareceu.

Fonte: OPovo