Desde o ano de 2010 a Prefeitura Municipal de Iguatu implantou o Projeto Baião na Feira que vem assumindo destaque no que se refere a boas práticas culturais da cidade, atingindo repercussão até mesmo em outros estados, analisando a influência cultural que o Baião trouxe para o Brasil enquanto movimento cultural de resistência e de representação da identidade cultural do nordeste e do país, a cidade de Iguatu busca analisar o baião como característica local visto que um dos fundadores do ritmo e consequentemente do movimento o compositor advogado Humberto Teixeira, a batida do baião está inserida nas batidas das violas dos cantadores de viola, na zabumba que marca o ritmo para o sanfoneiro animador das festas de terreiros, na moda do homem camponês, na literatura dos poetas da literatura de cordel.

O Projeto Baião na Feira vem consagrar o movimento, o ritmo, a musicalidade e a cultura como influência essencialmente iguatuense, cearense e nordestina, por isso a necessidade de analisar tais ações como patrimônio cultural imaterial do povo iguatuense, proporcionando uma intervenção cultural no meio da feira livre, espaço de aglomeração de diversas culturas. classes sociais e faixas etárias diversas, o Baião na Feira oportuniza artistas tradicionais da cidade e animam a feira local ao fim de cada bimestre.

No mês de Abril a programação Abril pra Cultura trás aos amantes das culturas tradicionais o Baião na Feira, acompanhado daquele caldo de cana de feira e aquele pastelzinho da rural, no próximo dia 26 de Abril a partir das 09h, muita poesia, cordel, cantoria e muito forró pé de serra.A cantoria de Budega

Buscando expandir as ações culturais da Prefeitura de Iguatu para as comunidades rurais, a Secretaria da Cultura e Turismo irá implantar a partir do mês de maio o projeto Cantoria de Budega que juntamente com o baião na feira irão compor o Programa A Cidade e Sua Memória voltado a preservação e educação patrimonial da cidade.

Serviço

Baião na Feira

Dia 26 de Abril

Feira Livre – Mercado Público Municipal Dr. Manoel Carlos de Gouvêa