O setor imobiliário de Iguatu, cidade localizada na região Centro-Sul do Estado, apresentou queda de pelo menos 40% do número de financiamentos de imóveis neste primeiro trimestre de 2019 em comparação a igual período do ano passado, de acordo com informações de Kaoma Pereira, presidente da unidade regional do Sindicato da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE).

“A liberação do crédito para venda de imóveis, através do programa Minha Casa, Minha Vida, financiado pela Caixa Econômica Federal, está mais difícil atualmente de ser aprovada, o que ocasionou essa baixa”, explica Pereira.

De acordo com o presidente, apesar de existirem recursos disponíveis na Caixa para esse fim, os critérios para a concessão dos financiamentos estão mais restritos, o que dificulta a concessão dos empréstimos à população.

“A maior dificuldade que está acontecendo é a de liberar o crédito para quem pode pagar. O banco está liberando menos crédito. Em Iguatu, o valor médio de residências é em torno de R$ 140 mil. E eles só aprovam até R$ 80 mil, ou seja, pouco mais da metade. Com isso, fica complicado as pessoas conseguirem o restante do dinheiro sem financiar”, conclui o presidente.
Potencial

Embora a queda tenha causado receio aos empresários em relação à expectativa de vendas para este ano, o Sinduscon-CE avalia que a região Centro-Sul representa um forte potencial no interior do Ceará. “Nos últimos quatro anos, a região foi líder em vendas de casas financiadas pelo programa Minha Casa, Minha Vida”, avalia Kaoma. Ele estima que, ao todo, 99% das vendas de imóveis em Iguatu são financiadas pelo programa.

O Sinduscon-CE ressalta que o Governo Federal restringiu os repasses oriundos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que deveria aplicar cerca de R$ 9 bilhões no programa Minha Casa, Minha Vida em 2019.

“O problema é que o Governo não está aportando os R$ 900 milhões de recursos da União em financiamento dos imóveis, já que ele é responsável por entrar com 10% do valor do imóvel e isso resulta no baixo orçamento para impulsionar as vendas”, explica André Montenegro, presidente do Sinduscon-CE.

Comissão

Na intenção de mudar o quadro de insegurança dos empresários do setor na região, Iguatu recebe hoje o lançamento da comissão Centro-Sul do Sinduscon-CE, às 9h, na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). A nova comissão será base para os interesses e necessidades das construtoras da região.

“É um pleito que nós podemos fortalecer com uma comunicação eficaz com o Governo para acelerar o ritmo do mercado no Ceará”, destaca Montenegro. Ele estima que 55 empresas se afiliem ao sindicato para tentar mudar o quadro atual do setor.

Fonte: Diário do Nordeste