(Foto: Reprodução)

Um homem incluído no Programa Estadual de Recompensa foi preso em um imóvel de Fortaleza com algemas e distintivos policiais, diversos carimbos de médicos cearenses, três caixas de remédios, contendo 30 comprimidos cada, que seriam utilizados para a mistura de drogas, uma balança de precisão, cadernos de anotações, e aparelhos celulares. Ele foi capturado no último sábado (19).

Nesta segunda-feira (21), a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) detalhou a ficha criminal de Alisson de Queiroz Garcia, 30 anos, e a prisão dele, que foi capturado com outro suspeito, Leandro de Lima (29), o “Tilinho”. Ambos, junto ao material apreendido, foram conduzidos para a sede da Draco.

No dia 29 de março deste ano, o nome de “Koka” foi incluído na lista do Programa Estadual de Recompensa do Ceará. O pagamento para o recebimento de informações relevantes que levassem as autoridades cearenses à prisão dele era de R$ 5 mil. Alisson foi capturado 82 dias após ser incluído na lista.

Alisson, que tem passagens por homicídio doloso, associação criminosa e crimes de trânsito, vinha sendo investigado e procurado pelos policiais civis da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco).

Contra ele, havia dois mandados de prisão preventiva em aberto por homicídios de 2018. Em maio deste ano, o suspeito conseguiu fugir de uma abordagem da Polícia Civil, na qual a mulher dele foi presa. Foram apreendidas uma trouxinha de crack, insumos do tráfico e dois veículos particulares que seriam fruto de negociações do narcotráfico.

No sábado, ele foi localizado tentando fugir. Ao ser abordado, ele se identificou com um outro nome. Para os policiais civis, o suspeito apresentou um documento de identidade falso.

Na delegacia, após o mandado de prisão preventiva pelo crime de homicídio ser cumprido contra “Koka”, ele também foi autuado em flagrante por tráfico de drogas, associação para o tráfico, por integrar organização criminosa, uso de documento falso e identidade falsa.

Já Leandro de Lima foi autuado em flagrante por tráfico de drogas, associação para o tráfico, por integrar organização criminosa, favorecimento pessoal e contravenção penal em razão dos distintivos encontrados.

Buscas por outros integrantes do grupo

A força-tarefa para capturar “Koka” contou com o trabalho de investigação e inteligência de equipes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), do 32º Distrito Policial (32º DP) e do Departamento de Inteligência Policial (DIP).

A Polícia Civil mantém as investigações para identificar e capturar outros integrantes do grupo criminoso. Além disto, a SSPDS garante que vai aprofundar as apurações com intuito de descobrir os motivos pelos quais Leandro mantinha carimbos com identificação de médicos, bem como saber sobre que uso ele fazia dos distintivos e algemas apreendidas.

Fonte: G1 CE