O bloqueio de verbas imposto pelo Governo Federal ao Ministério da Educação (MEC) pode afetar de forma severa o funcionamento das instituições, incluindo a Universidade Federal do Ceará (UFC). Em nota, a UFC manifestou “apreensão” e afirmou que o custeio das atividades de dezembro está prejudicado.

Por meio do Decreto nº 11.269, de 30 de novembro de 2022, o Governo Federal alterou o cronograma de execução mensal de desembolsos, “afetando o limite de pagamento de despesas previsto para dezembro de 2022”, como explica a UFC.

“Até agora, a UFC vinha realizando sua execução orçamentária dentro de um adequado equilíbrio, apesar dos contingenciamentos ocorridos neste ano. Porém, com o mais recente bloqueio, ficam inviabilizados, em dezembro, os pagamentos de bolsas acadêmicas e custos dos restaurantes universitários”, informa a universidade.

Além dos auxílios estudantis e dos restaurantes, a UFC destaca que também não tem como pagar “contratos de transporte, aquisição de passagens aéreas e de insumos para atividades acadêmicas e administrativas, dentre outros itens de custeio e investimento”.

A Universidade garante que está “em diálogo permanente com os setores responsáveis no MEC e no Ministério da Economia e mobilizando esforços internos para acompanhar a resolução da situação”, e afirma confiar “que a problemática não se prolongará”.

O presidente do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Ceará (ADUFC), Bruno Rocha, manifestou posicionamento de repúdio ao bloqueio orçamentário.

Fonte: Diário do Nordeste