O Centro de Pesquisa em Engenharia em Redes e Serviços Inteligentes (Smartness) está buscando desenvolver soluções de rede e aplicações voltadas à sexta geração de internet móvel, o 6G, que está previsto para 2030.

O investimento é de R$ 56 milhões em dez anos, dos quais 28 milhões são aportes da Fapesp e da Ericsson, que ficará responsável pela infraestrutura. O intuito do centro de pesquisas é garantir soluções para infraestrutura de rede aplicada, baseada em inteligência artificial para tornar as conexões mais eficazes e seguras.

O centro foi desenvolvido pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a empresa Ericsson. O projeto deve envolver ao menos 50 pesquisadores em seu primeiro ano.

“É difícil antecipar o futuro. Nosso desafio é antecipar as possibilidades, criando conexões que tornem possível aquilo que não é imaginável hoje”, disse o head de pesquisa aplicada da Ericsson no Brasil, Mateus Santos, ao jornal O Globo.

Acredita-se que em 2030 as conexões deixem de ser apenas entre humanos e máquinas e também aconteçam entre máquinas inteligentes conectadas, o que vai aumentar o tráfego de informações e a demanda do sistema.

Fonte: Olhar Digital