Atualmente, a preocupação com a estética é evidente, mas às vezes pessoas fogem da normalidade e acabam adquirindo algum distúrbio, como anorexia e vigorexia.

 

Para entender melhor o que é cada um, deve-se diferenciar anorexia da vigorexia, veja abaixo as suas classificações.

Anorexia: A pessoa enxerga seu corpo de forma distorcida (vê gordura onde não existe), o que a leva a praticamente parar de comer. O portador desse distúrbio possui algumas características como: perder peso sem causa médica aparente, reduz a quantidade de alimentos ingeridos, tem comportamentos ritualizados à refeição, não assume a fome, torna-se mais crítico e menos tolerante, pratica muito exercício físico (+ de 3h/dia), só come produtos magros ou de valor calórico baixo, acha-se sempre gordo e possui extremo autocontrole. Algumas consequências desses comportamentos são: problemas cardíacos, hipotensão arterial, problemas renais, perda de muscular, perda de massa óssea, falta de menstruação (nas mulheres), desnutrição, desidratação, fadiga, fraqueza e tonturas, e frio intenso.

Vigorexia: Mais comum em homens, eles se preocupam em ficar fortes a todo custo. Mesmo passando horas na academia e estando muito musculosos, eles se veem magros e fracos. Essas pessoas apresentam algumas atitudes como características desse distúrbio. Entre elas estão: têm vergonha do próprio corpo, usam fórmulas “mágicas” para ficarem fortes (anabolizantes, termogênicos, etc.), dão valor extremo à imagem e são obsessivos com alguma parte do corpo. Assim, como os distúrbios anteriores, a vigorexia também possui algumas consequências, como: insônia e falta de apetite, problemas circulatórios, irritabilidade, redução nos níveis de testosterona, desinteresse sexual, fraqueza e cansaço constante, dificuldade de concentração, problemas no fígado, problemas ósseos e articulares devido ao peso excessivo nos treinamentos, e encurtamento de músculos e tendões.

Não adianta ser bonito (a) se você não é saudável, procure sempre praticar atividade física no mínimo 3x por semana, tenha bons hábitos alimentares, durma bem, seja feliz.

E lembre-se: saúde é vida!

Rhaullyan Guedes de Oliveira – Acadêmico de Educação Física da Universidade Regional do Cariri – Campus Iguatu