(Foto: Reprodução)

Uma descoberta de 2018, feita por pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em parceria com a Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, encontrou 165 árvores dentro de rochas no município de Ortigueira (PR). O estudo foi publicado na revista científica Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology.

As análises mostraram que a floresta fossilizada existiu há 290 milhões de anos. Segundo os pesquisadores, as árvores tinham entre quatro e 18 metros.

A cientista Thammy Mottin, doutoranda e responsável pela pesquisa, considerou o achado uma surpresa, uma vez que a equipe estava em busca de amostras das rochas.

Em um comunicado, André Luís Spisila, geólogo e pesquisador do Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM), explicou o achado chama a atenção não só pela quantidade de troncos fossilizados e seu grau de preservação, mas também por estarem em posição de vida, o que é muito raro para plantas continentais.

As plantas encontradas são licófitas, que não possuem flores, do gênero das árvores do município paranaense, que fica a 256 quilômetros da capital, Curitiba.

De acordo com Spisila, a posição de vida “indica que o soterramento destas licófitas ocorreu de forma muito rápida e catastrófica. É um grande achado que irá colaborar para compreendermos melhor os paleoecossistemas, paleoclima e paleogeografia do antigo continente”.

Ele explicou ainda que na época em que essa floresta existiu, o Hemisfério Sul estava unido em um único continente chamado Gondwana, formado pela América do Sul, Austrália, África, Antártica e Índia.

Fonte: CNN Brasil