(Foto: Divulgação)

A primeira quinzena de maio chegou ao fim com uma significativa marca pluviométrica no Ceará. Em apenas 15 dias, choveu 68% de todo volume esperado para o mês. Conforme levantamento do Diário do Nordeste, com base nos números da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), do dia 1º até ontem, dia 15, já havia chovido o acumulado a 61,4 milímetros. A média histórica para maio é de 90,6 mm.

Diante da manutenção da possibilidade de chuvas para o longo dessa semana, a tendência é de que este índice mensal seja superado. Caso isso se confirme, maio se juntará aos meses de janeiro e março que tiveram chuvas acima da média histórica mensal.

No primeiro mês deste ano, as chuvas ficaram 65% acima da normal climatológica. Já em março, as precipitações superaram a média em 30%.

Janeiro: choveu 163,6 mm, 65,7% superior a média histórica
Fevereiro: choveu 64,5 mm, 45.7% inferior a média histórica
Março: choveu 265,7 mm, 30,6% superior a média histórica
Abril: choveu 182,7 mm, 2.9% inferior a média histórica
Maio: choveu 61,4 mm em 15 dias, cerca de 68% da média histórica

Os bons volumes pluviométricos que se acumulam mês após mês no Ceará têm contribuído para que o Estado se aproxime de conquistar uma importante marca: nesta década, apenas duas vezes (2019 e 2020) o ano chegou ao fim com chuvas acima da média. Agora, 2022 deve atingir este patamar ainda neste mês de maio.

Nos 135 dias iniciais do ano, a Funceme já contabiliza o acumulado pluviométrico de 737,8 milímetros. O volume já representa 92,1% de todo o volume que esperado para o longo dos 12 meses, que é de 800,6 mm. Nos últimos dez anos, 2021 foi o que teve o maior índice pluviométrico, com acumulado de 958,6 mm, o que representa 19.7% acima da média histórica.

Fonte: Diário do Nordeste

PODCAST DIÁLOGO MAIS – ELEIÇÕES 2022 – O nosso sistema eleitoral é seguro? O que é fato ou boato?