(Foto: Reprodução)

No dia 29 de maio de 1919, sob o céu de Sobral, na região norte do Ceará, um eclipse total do sol que durou 5 minutos e 12 segundos comprovou a Teoria da Relatividade Geral proposta pelo físico alemão Albert Einstein (1879-1955) em 1915. Desde então, a gravidade dos corpos passou a ser entendida como uma propriedade geométrica de uma nova dimensão espaço-tempo.

“A questão que minha mente formulou foi respondida pelo radiante céu do Brasil”, disse Albert Einstein.

O eclipse total do Sol ocorrido há exatos 103 anos foi visível em uma estreita faixa de terra que atravessava os continentes da América do Sul e da África, na região próxima ao equador terrestre. Além da verificação científica de um dos pressupostos da teoria de Einstein, os astrônomos também buscavam estudar a coroa solar, visível unicamente durante os eclipses totais do Sol. Com este objetivo, o então diretor do Observatório Nacional, o astrônomo Henrique Morize (1860 – 1930), realizou observações e fotografias do eclipse.

Eclipse de Sobral completa 103 anos

A comprovação da Teoria da Relatividade Geral foi uma das grandes conquistas científicas do século XX e transformou a visão científica na atualidade. A partir dessa constatação, a ciência abriu caminhos para um melhor entendimento dos fenômenos físicos em escalas que vão desde o Sistema Solar até o universo como um todo.

Isso é possível, basicamente, pelo fato de que a gravitação é a interação dominante em grandes escalas e, portanto, a partir de uma teoria bem sucedida do campo gravitacional pode-se explorar os mecanismos físicos que atuam nesses sistemas.

Fonte: G1

PODCAST DIÁLOGO MAIS – PARA ONDE CAMINHA A ECONOMIA BRASILEIRA