Em parceria com a junta comercial do estado do Ceará, o conselho regional de contabilidade (CRC) realizou nesta sexta-feira, 10, no auditório da CDL mais um “Ciclo de Palestras” com o objetivo de promover, divulgar e incentivar o desenvolvimento do conhecimento filosófico, científico e tecnológico da ciência contábil, bem como se atualizar nas temáticas que envolvem o preenchimento do contrato, suas últimas alterações e as principais dificuldades enfrentadas pela categoria.

 

As palestras contaram com orientações mais aprofundadas sobre SPED (Sistema Público de Escrituração Digital), a ocasião era voltada para os 231 contadores que compõe CRC em 13 municípios bem como aos técnicos e empresários. “Qualquer empresário que deseja conhecer a fundo essa área que é mais voltada para os seus contadores, terão o melhor andamento e progresso de suas empresas. Com isso todos os trâmites burocráticos seriam facilitados”, assegurou Amélia Pinheiro técnica de análise da Junta Comercial de Juazeiro do Norte, e palestrante da ocasião.

O SPED abrange alguns projetos que estão divididos nas áreas contábil, fiscal, pessoal e nota fiscal eletrônica, como por exemplo – ECD – (Escrituração Contábil Digital) e ECF (Escrituração Contábil Fiscal), assuntos também explanados pela também palestrante do evento, Adriana Miranda, “a contabilidade está, a cada dia, mais interligada com a tecnologia, e o projeto SPED — implantado desde 2007 no Brasil — vai exigindo cada vez mais que essa ligação se fortaleça, pois, com a adoção de prazos e penalidades cada vez maiores. Por isso, o contador deve está muito bem preparado”, alertou Adriana.

José Alves, delegado do CRC, afirmou que a ideia é que ocorram mais palestras, e sempre que possível, aliar a realização das mesmas com o lado filantrópico, “o meio da contabilidade vive em constantes transformações e momentos como esse serve para nos atualizarmos quanto as recentes mudanças das normas”, disse José, que continuou, “tentamos firmar o máximo de parcerias possíveis para oferecer algo, sempre sem custos. Por isso a maioria dos eventos que oferecemos, pedimos apenas alimentos não perecíveis como forma de investimento”, disse. Os mantimentos arrecadados serão doados para instituições carentes.