Cerca de 30 profissionais do segmento de cabeleireiro receberam na noite desta terça, 12/11 seus certificados de conclusão do curso de Cabeleireiro, promovido pela FAJI-Fundação de Apoio ao Jovem de Iguatu, com o apoio das lojas, Magrella Collection e O Boticário. Cerca de 150 candidatos haviam feito inscrição para fazer o curso, mas somente 30 vagas estavam disponíveis, o que obrigou a instituição usar como critério de seleção o sorteio das vagas.

O curso aconteceu durante um período de três meses, no galpão de cursos da FAJI, ao lado da Rádio Mais FM, ministrado pelo experiente cabeleireiro Baterfly, que trabalhou com orientações teóricas e práticas. Baterfly informou que não houve evasão. Segundo ele, todos que começaram conseguiram concluir a qualificação. Nos últimos quinze dias do curso, os estudantes já estavam usando o que aprenderam na prática, cortando cabelo e fazendo outros tipos aplicação estética, em moradores do bairro.

A solenidade de entrega de certificados aconteceu no 1º piso da Eugênia Pizzaria na Av. Dário Rabelo. Estavam presentes, além dos concludentes, a presidente da FAJI, Fátima Sobreira, o empresário Sá Vilarouca, presidente de Honra da instituição, José de Sá Vilarouca, o diretor da Rádio Mais FM, Paulinho Neto, a coordenadora de projetos da FAJI, Patrícia Lopes, e os coordenadores, Greyutoniles Gouvêa e Neuracy Mota. 

Fátima Sobreira destacou a iniciativa da FAJI em oferecer a oportunidade para os profissionais e enalteceu as empresas parcerias, Magrella Collection e O Boticário, que deram todo o suporte do treinamento. Mas ela foi enfática na afirmação de que o mais importante foi resgatar a cidadania para pessoas que lutam para um espaço na sociedade e no mercado de trabalho, mas enfrentam inimigos invisíveis poderosos como o preconceito e a discriminação.

Gardênia Brito, que fez o curso declarou que a qualificação para ela serviu não apenas para treiná-la numa profissão, mas principalmente abrindo sua cabeça, com novas ideias e pensamentos. “Estou cheia de ideias novas, estou pensando em várias coisas boas, quero montar meu salão, quero crescer como profissional, porque o curso já me ajudou a crescer como pessoa, foi muito bom”, disse.

O presidente de Honra, Sá Vilarouca afirmou que é prazeroso ver que houve um esforço conjunto entre instituição e empresas para oportunizar aquelas pessoas a qualificação profissional, um passaporte de grande relevância para quem deseja conquistar espaço no mercado, principalmente montando o próprio negócio. O empresário disse que por se tratar de um curso que tem o custo muito alto, em torno de R$ 1.200,00 (mil e duzentos reais), muitos não tinham recursos para fazer e o trabalho institucional da FAJI, com o apoio da iniciativa privada somaram a oportunidade. Ele disse que agora é o momento dos cursandos aproveitarem o que aprenderam, porque o mais difícil foi feito, a qualificação. “Agora corram, sem perder tempo em busca da realização dos sonhos de vocês”, concluiu.