Dona Maria do Céu mãe do rapaz assassinado
Os familiares do jovem Lindomar Barbosa de Lima, 20 anos, assassinado por um adolescente no dia 03 de agosto na Praça do Bairro Santo Antônio, na cidade de Iguatu, procurou a reportagem da MAIS FM para apelar às autoridades segurança,

pois conforme nos relataram, estão sendo ameaçados constantemente pela presença do réu confesso nas proximidades de suas residências.

 

A mãe do jovem morto à tiros, Maria do Céu da Conceição, afirma que “eu quero justiça pois meu filho era um homem muito trabalhador e eu sou doente e eles quem me sustentava” e acrescentou chorando “tenho certeza se tivesse sido meu filho que tivesse matado ele, meu filho estaria atrás das grades como um cachorro e como foi um vagabundo  está solto aí para furar os outros e eu quero justiça”. 

 

Conforme ainda a senhora Maria do Céu, o adolescente sempre está sendo visto por populares nas imediações das residências e todos da família, inclusive alguns amigos do jovem morto tiveram que se ausentar da cidade, temendo, pois estavam sendo ameaçados. “Meus filhos estão todos ameaçados, inclusive teve alguns que saíram, pois ele disse que vai pegar todos”, acrescentou a senhora.

 

 Também fomos procurados pela mãe do adolescente, Francisca Alves de Oliveira, que disse “eu morava aqui na Major Pedro Alcântara e depois que ele se apresentou na delegacia, tivemos que sair para outra rua, para evitar, já que era bem próximo onde eles moram. Pois é o contrário, pois do lado deles é que nós fomos ameaçados”. 

 

O adolescente de 17 anos, que  tem várias passagens por roubos, furtos, tráfico, porte de arma e agora homicidio, se apresentou a DRPC, ouvido e liberado, já que não houve flagrante em participação por telefone informou que as acusações de ameaças não seriam verdadeiras pois “nem de casa estou saindo. Eu quem estou sendo ameaçado pela família dele. Estão me ameaçando direto.

 

Fui na delegacia prestei um Boletim de Ocorrência, pra dizer que eles estão passando aqui em frente a minha casa com um revólver na mão. Eu tô dentro de casa, se mexer comigo. Estou arrependido, mas eu já fiz e pronto… Se vier me matar  eu não vou ficar parado não, pois eles estão passando em frente a minha casa”