Parte do muro da Escola de Gastronomia e Hotelaria do Ceará, que fica na Avenida Leste-Oeste, no Bairro Moura Brasil, em Fortaleza, desabou e atingiu uma residência, deixando feridas a dona da casa, uma idosa de 72 anos, e a filha dela. O acidente aconteceu na manhã desta quarta-feira (11). Uma criança de 9 e um adolescente de 14 também estavam no local, mas não sofreram ferimentos. Elas foram encaminhadas para casa de parentes.

Chovia no momento do acidente, por volta de 8 h, e muita lama entrou na casa. A proprietária perdeu praticamente todos os móveis e eletrodomésticos como estantes, fogão e geladeira. A dona de casa, Inês Sousa de Oliveira, sofreu ferimentos no rosto, na coluna e nas pernas. A idosa foi socorrida e encaminhada para um hospital da região. A filha dela Andréa Sousa teve ferimentos leves no braço e na perna. Ela recebeu os primeiros socorros e passa bem.

A Defesa Civil de Fortaleza está no local e a área está isolada já que ainda existe risco de desabamento. O G1 entrou em contato com o Governo do Estado e com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio) para saber qual é o órgão responsável pela manutenção do empreendimento. Até a publicação da matéria, não obtemos a resposta.

O Sistema Fecomércio disse que, há um mês, firmou parceria com o Governo do Estado, por meio de termo de Cessão de Uso do Espaço da Escola de Gastronomia e Hotelaria do Ceará para realizar “atividades que beneficiem a sociedade”, no entanto, no entanto, ainda não iniciou nenhuma atividade no local.

A entidade informou, em nota, que irá solicitar laudo técnico para apurar as causas, responsabilidades e as soluções necessárias para o ocorrido.

Primeiros socorros

O vizinho Marcondes França foi um dos que ajudaram a socorrer a dona de casa de dentro da residência. “Quando eu cheguei bem próximo um rapaz já vinha tirando ela nos braços. Ela toda ensanguentada e com hematoma muito grande no rosto. Ele me pediu para levar ela para casa dele. Então, eu a levei e ela tava sentindo muitas dores. Aí, ela me disse que tinha sido o muro da Escola Gastronomia e Hotelaria que tinha desabado por cima dela”, disse.

Ainda segundo o vizinho, ele junto com outras pessoas retirou uma criança e a filha dela que estava presa entre a parede e três guarda-roupas. “Quando eu cheguei à residência tinha uma criança que eu ajudei também levar para casa vizinha. E ainda tinha a filha dela que estava presa entre a parede e três guarda-roupas. Que a gente conseguiu quebrar os guarda-roupas e tirar a filha dela que estava presa”, disse.

Marcondes afirmou que fazia muito tempo que Inês denunciava as más condições do muro da Escola. “Já ameaçava cair faz bastante tempo. Ela já tinha denunciado e reivindicado, mas ninguém deu atenção”.

Fonte: G1 CE

PODCAST DIÁLOGO MAIS – A violência contra o idoso