Mesmo com valores mais abaixo no mercado, há necessidade de certas precauções antes de fechar negócio

É um fato que nos últimos anos, principalmente com a crise econômica estabelecida no Brasil, a busca por equipamentos e produtos usados teve um crescimento considerável.

Segundo a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), somente entre 2020 e 2021, 33% dos consumidores brasileiros adquiriram algum tipo de produto usado.

Comprar um eletrônico usado pode ser vantajoso para quem procura produtos mais baratos, porém, é preciso reforçar os cuidados na hora de fazer esse tipo de compra.

É importante que os compradores fiquem atentos sobre a procedência do aparelho e o estado em que ele se encontra, para que sejam evitados futuros gastos maiores e problemas.

Hoje neste artigo separamos alguns cuidados que você, como comprador, pode tomar para que a sua compra seja bem sucedida. Vamos lá!

Por que comprar aparelhos e produtos usados?

Como citamos, nos últimos anos, principalmente por causa da pandemia e da crise global que foi instalada como resultado, a principal razão da procura por usados, apontada pelos consumidores, é a financeira.

Segundo a CNDL, 77% dos compradores de itens usados alegaram a economia como principal motivo da escolha.

O crescimento do mercado de produtos usados tem impactado também na jornada de compra dos clientes.

Também de acordo com a pesquisa, 62% dos consumidores online costumam verificar a possibilidade de comprar um produto usado antes de um novo, especialmente quando se trata de celulares/smartphones, livros e eletrodomésticos.

Apesar de uma boa economia, que é um dos fatores com mais força nesse tipo de compra, é preciso tomar alguns cuidados para não fazer uma escolha ruim, afinal, o barato, muitas vezes, pode sair mais caro.

Com a popularização desse tipo de compra, também cresce o número de vendedores mal intencionados envolvendo produtos usados. Por isso, a seguir, você verá algumas estratégias que podem te ajudar a realizar uma boa compra.

  1.  Fique atento as avaliações do vendedor

Talvez essa seja uma dica óbvia, mas é sempre bom ressaltar: se você for comprar direto de uma loja, sempre cheque as avaliações de outros compradores. O mesmo serve para lojas virtuais em marketplaces, por exemplo.

Geralmente, essas plataformas deixam claro o histórico do vendedor e a opinião de quem já comprou com ele.

Se o anúncio for de uma pessoa física, observe se essa pessoa já vendeu antes nas redes sociais e leia os comentários, isso ajuda a ter uma noção maior sobre a veracidade da compra.

  1. Faça uma verificação prévia

Antes de comprar, verifique todas as características da compra: documento, existência de garantia, contrato, funcionamento adequado.

O indicado é que você faça perguntas, a fim de entender em detalhes as condições do produto, como se já apresentou alguma falha, se tem reparos, estado da bateria, etc.

Isso pode ajudar a evitar que o produto tenha problemas futuros. Em compras mais caras, como carros, vale levar até seu mecânico de confiança para uma avaliação mais precisa.

  1. Documentação de origem

Sempre solicite a cópia da nota fiscal original de venda do equipamento novo e guarde uma cópia. Verifique se o bem foi vendido com alienação na nota fiscal e solicite o documento comprovando a desalienação do bem.

É importante que se tenha o histórico dos proprietários anteriores. Se alguma destas empresas sofreu processo de falência ou concordata, o bem pode estar penhorado.

  1. Fique atento às garantias

Comprar um produto usado não significa que você precisa abrir mão de ter garantia. Itens novos costumam ter garantia estendida de um ano, mas produtos usados também precisam ter garantia legal de 90 dias, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor.

Ressaltamos que isso ocorre quando a compra é feita diretamente de um lojista, ou seja, se você for comprar um produto de uma pessoa física, dê preferência para produtos que ainda estejam no período de garantia e tenham a documentação necessária, como a nota fiscal.

  1. Não faça o pagamento antes de pegar o produto

Muitos golpes de venda de produtos usados, como carros e outros itens de maior valor, envolvem algum tipo de pagamento antecipado, contudo, nunca realize o pagamento antes de obter o produto.

A não ser que a compra seja feita em um site especializado e confiável em que a plataforma se responsabiliza por eventuais problemas na entrega dos produtos.

Ressaltamos também que, se puder escolher entre o pagamento direto para o vendedor ou para uma plataforma conhecida,  sempre dê preferência para a plataforma.

  1. Exija a nota fiscal

Qualquer que seja a compra, até mesmo pequenos equipamentos como toner ou cartuchos, sempre precisa de uma nota fiscal para usar a garantia ou mesmo comprovar a posse do produto.

Ou seja, mesmo que você compre de uma pessoa física e não de um lojista, peça a nota fiscal e o documento de garantia de fábrica.

PODCAST RAÍZES DO SERTÃO – O MELHOR PROGRAMA DA CULTURA NORDESTINA