(Foto: Reprodução)

Com altas nos casos de Covid-19 e chikungunya no Ceará, registradas no último mês de junho, uma nova preocupação surge. Afinal, é possível que uma pessoa seja acometida pelas duas doenças simultaneamente? O epidemiologista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Jesem Orellana, explica que “não apenas é possível, como é o esperado, caso existam condições sanitárias e ambientais para este duplo problema”.

Conforme o epidemiologista, embora sejam duas doenças infecciosas virais que alcançam padrões de transmissão pandêmico, os meios de transmissão, resposta do organismo e sintomas, por exemplo, são relativamente diferentes.AdChoices

No caso da chikungunya, a doença é transmitida por um mosquito (Aedes aegypti e Aedes albopictus) e cada pessoa só é infectada uma vez. Os sintomas são um pouco diferentes de uma síndrome gripal, envolvendo dores articulares e manchas na pele, por exemplo.

Já a Covid-19 é transmitida pelo contato entre pessoas, pode ocorrer mais de uma vez no mesmo indivíduo e a sintomatologia é semelhante a uma síndrome gripal, podendo apresentar febre, tosse, cansaço e perda de paladar ou olfato.

“Neste sentido, as estratégias para combater ambas as doenças são diferentes. No entanto, independentemente da doença, o paciente deve procurar atendimento na unidade de saúde mais próxima da sua casa”, destaca Jesem.

Fonte: OPovo

MAIS ROCK – Novas músicas do Interpol e do Journey e um especial em homenagem ao músico grego Vangelis