A ameaça de fechamento da unidade repercutiu na CMI - (Foto Thiedo Henrique/Mais FM)

O possível fechamento da unidade do Semiliberdade Regional de Iguatu, que funciona há 15 anos na cidade com o objetivo de acolher adolescentes em conflito com a lei, internados com medidas socioeducativas, reuniu lideranças políticas de Iguatu em audiência na Câmara Municipal de Vereadores da cidade na terça-feira, 01.

A ameaça de fechamento da unidade repercute desde quando a ONG Movimento Consciência Jovem (MCJ) que gerencia a unidade junto ao Governo do Estado comunicou o aviso prévio dos funcionários. O intuito da audiência conforme o presidente do legislativo municipal Mário Rodrigues é mobilizar sensibilizar o governo a mudar de ideia. “Com sentido de barrar pra que isso não aconteça articulamos a presença de todas as representações da sociedade civil organizada. Não podemos perder um local importante a nível regional e que cumpre com sua função de ressocializar”, afirmou.

As galerias da Câmara tiveram a grande presença da população (Foto Thiedo Henrique/Mais FM)

A unidade funciona no bairro Areias e atende a 14 municípios da região. Eurenir Sobreira, uma das fundadoras e ex-coordenadora do Semiliberdade de Iguatu, foi uma das que lamentou a possibilidade. “Eles (adolescentes) têm a proximidade com familiares e perder isso afetará muito, será um prejuízo enorme perder esse equipamento. Existir a lei e não o equipamento não adiantará de nada”, avaliou.

Helga Barreto Tavares, promotora de Justiça da vara da infância, afirma que o MP oficiou a superintendência no intuito de saber os reais motivos para o fechamento. “A unidade carece de melhor estrutura de funcionamento, o que não pode haver é o sucateamento e subutilização ao longo do tempo para ser motivo do fim das atividades da unidade”, disse.

Fôlego

Na última sexta-feira, 28, a direção da unidade recebeu a orientação da Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo, determinando que adolescentes que estavam em recuperação no local fossem transferidos para a região do Cariri. Mas já na terça-feira, 01, à tarde, foi comunicada a revogação da decisão do aviso prévio dos servidores.

Uma reunião com representantes sistema estadual foi agendada para o próximo dia 16 de agosto. A ata da sessão será entregue como forma de manifesto contrário à possibilidade de fechamento. No decorrer da sessão, familiares de semi-internos, funcionários locais assim como vereadores de todas bancadas também se mostraram adversos ao desligamento da unidade.