A vacina contra o HPV já está disponível para  meninas de 9 a 11 anos de idade . Quem não for vacinada corre o risco de desenvolver câncer do colo do útero no futuro. A doença é o terceiro tipo de câncer que mais mata mulheres no Brasil. O ministro da Saúde, Arthur Chioro, destaca que essas meninas  que vão passar a receber a vacina podem ser a primeira geração livre do câncer do colo do útero.

 

“Essa geração de meninas de 9 a 11 anos vai receber regularmente, pelo calendário de vacinação do SUS, a vacina contra o HPV. Uma doença que acomete 15 mulheres todos os anos mata cerca de cinco mil mulheres todos os anos e, agora, essa nova geração de meninas, de 9 a 11 anos, vai escrever uma nova história para o câncer, que é o terceiro que mais mata as mulheres no nosso país.” 

A estudante de Belo Horizonte, Ana Clara Guimarães, tem 11 anos de idade. Ela conta que  recebeu nesta segunda-feira a primeira dose da vacina contra o HPV. 

“Como eu fui a primeira a tomar eu fiquei com um pouco de medo. Eu esperava que iria doer mais, sabe, mas foi bom. Eu acho que todas deveriam tomar a vacina, porque eu gostaria que outras meninas tivessem a mesma oportunidade que eu tive, entendeu. Vou incentivar muitas amigas minhas aqui do bairro, para no futuro não ter o câncer.” 

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, lembra que para que as meninas de 9 a 11 anos de idade sejam a primeira geração livre do câncer do colo do útero, é preciso que os pais e responsáveis apoiem a vacinação contra o HPV

“Nós precisamos do apoio dos pais e responsáveis, para que elas compreendam que a vacinação é uma proteção. Ela não é um aval para o início da atividade sexual, mas é neste momento em que as meninas não começaram a atividade sexual, não entrou em contato com o vírus HPV, para que o organismo das nossas meninas possam criar as defesas necessárias contra o vírus HPV e, portanto, contra o próprio câncer do colo uterino e das verrugas vaginais.” 

A vacina contra o HPV é segura e já está disponível para as meninas de 9 a 11 anos em todo o Brasil. O Ministério da Saúde recomenda aos estados e municípios que façam parcerias com as escolas públicas e privadas para vacinação das estudantes. Para saber mais, acesse a página do Ministério da Saúde. O endereço é www.saude.gov.br