A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) emitiu uma nota de alerta orientando sobre as notificações de casos suspeitos da varíola do macaco (monkeypox), nesta sexta-feira (27). O estado, assim como o Brasil, ainda não tem casos suspeitos. A Sesa determinou que, quando ocorra, o aviso deve acontecer de forma imediata, em até 24 horas.

A varíola do macaco, que já foi identificada em, pelo menos, 18 países, trata-se de um vírus transmitido via secreções respiratórias que causa sintomas como febre, mal-estar, dores no corpo e lesões que geralmente começam a se manifestar na cavidade oral. O país mais recente com caso confirmado foi a Argentina, na manhã desta sexta-feira (27).

A notificação, segundo a Sesa, deve ser encaminhada para o CIEVS Estadual, através de canais, como formulário eletrônico, e-mail e telefone, por se tratarem de eventos de saúde pública (ESP), conforme disposto na portaria do Ministério da Saúde nº 1.102, de 13 de maio de 2022 e portaria do estado do Ceará n° 2.854 de 09 de agosto de 2011.

Caso suspeito: pessoa de qualquer idade que apresente início súbito de febre maior que 38,5 ºC, adenomegalia e erupção cutânea aguda inexplicável e que apresente um ou mais dos seguintes sinais ou sintomas:

Dor nas costas
Astenia
Cefaleia
E excluindo as doenças que se enquadram como diagnóstico diferencial e/ou qualquer outra causa comum localmente relevante de erupção vesicular ou papular. *varicela, herpes zoster, sarampo, zika, dengue, Chikungunya, herpes simples, infecções bacterianas da pele, infecção gonocócica disseminada, sífilis primária ou secundária, cancróide, linfogranuloma venéreo, granuloma inguinal, molusco contagioso (poxvirus), reação alérgica (como a plantas).

Caso confirmado: pessoa que atende à definição de caso suspeito ou provável que é confirmado laboratorialmente para o vírus da Monkeypox por teste molecular (qPCR e/ou sequenciamento).

 

Fonte: G1 CE

PODCAST DIÁLOGO MAIS – A violência contra o idoso