A Universidade Regional do Cariri (Urca) passa a contar com mais um curso dentro de sua grade de ensino. Nesta terça-feira, 15, foi aberta a graduação em Medicina (MedUrca) da instituição, que fará parte do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde – Unidade Madre Feitosa. A primeira turma já começa imediatamente e conta com 30 alunos, aprovados no último vestibular entre os mais de 5 mil inscritos.

A realização das adequações das instalações da Urca receberam um investimento de R$ 2 milhões. O governador Camilo Santana, natural do Crato, disse estar emocionado com o momento, pois sabia que esse era um desejo antigo. “Quando cheguei aqui e vi a placa do curso de Medicina da Urca, balancei. Essa é uma luta antiga”, assumiu. O chefe do Executivo Estadual disse que um estudo técnico foi feito e mostrou que era viável abrir o curso. “Foi aprovado no Conselho (Estadual) de Educação. Mas eu queria começar já com o campus próprio e conversei várias vezes com a Diocese para desapropriarmos o prédio. E fomos além, o Estado adquiriu também o Hospital São Camilo para que os nosso alunos já tivessem um excelente hospital universitário”, destacou Camilo.

O governador enfatizou que “o curso tem um diferencial. Aqui vai ser voltado para a saúde pública, vamos ter um posto de saúde para poder capacitar e treinar”, lembrou. Para Camilo Santana, “não tem nada mais importante para um estado e um país do que investir na educação de seu povo”.

O MedUrca chega com uma proposta voltada à formação de profissionais para atuação no atendimento à atenção primária, de forte demanda assistencial, tendo um grande alinhamento com a Medicina da Família e da Comunidade.

Para Francisco do Ó’ de Lima Júnior, reitor da Urca, “o Governo do Estado vem valorizando a Educação Superior, fazendo sua interiorização, investindo em pessoas. É uma noite de festa e assinalamos um marco histórico. Um projeto construído a muitas mãos, valorizando a atenção básica. Esse projeto arrojado demarca uma estratégia de pensar desenvolvimento que é a formação de saúde”, destacou.

Realizado em tempo integral, o curso vai ter uma carga horária de 7.740 horas/aula. Durante a graduação serão promovidas atividades de campo, laboratório de habilidades clínicas, atividades integradas e metodologias ativas. A finalidade é gerar competências sensíveis às necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS). Carlos Décimo, titular da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Secitece), ressaltou a diferença na vida dos que mais precisam que um curso superior público faz, assim como foi na caminhada dele. “Esta é uma vitória da persistência, do povo do Cariri e do Crato. Esta universidade vai trazer os filhos dos trabalhadores para uma universidade pública. Sei o significado de uma universidade pública. Sou filho de um trabalhador rural e de uma costureira e cursei uma universidade pública”, confessou o secretário.

Fonte: Ceará Agora