(Foto:Daniela Lima)
A Unidade de Acolhimento Infanto Juvenil instalada na Vila Penha foi criada para atender pacientes de Iguatu e região que sejam dependentes químicos e que desejem se tratar.

A UAI começou a funcionar em caráter experimental desde o dia 02 de outubro deste ano e conta atualmente com quatro jovens internos que passam por tratamentos diversos para tratar o vício do álcool e outras drogas.

Recentemente alguns moradores do entorno da UAI reclamaram que os adolescentes daquela unidade estariam causando desconforto e provocando medo nas pessoas que residem nas proximidades.

O caso de uma senhora foi levado à reportagem da Rádio Mais FM, onde a mesma declarou ter sido ameaçada por um adolescente que invadiu sua casa após discussões verbais. O fato chegou ao conhecimento da coordenação da UAI e o jovem foi desligado da unidade. Após acompanhamento do paciente com equipe multidisciplinar e observada a intenção do garoto em continuar o tratamento, ele voltou à instituição.

Os moradores daquela localidade provocaram uma reunião na última quarta-feira (27) que contou com a presença da Sra. Mayara Campos, Coord. da Saúde Mental de Iguatu e o Promotor de Justiça Francisco das Chagas, responsável pela Vara da Infância e Juventude. Na ocasião foi discutida a problemática enfrentada em que os moradores declaram desconhecer os serviços prestados pela UAI, quais pessoas estão ali internas e que tipo de trabalho é realizado. Dentre as reivindicações foi acertado que haverá a contratação de mais um vigia para o local, o Programa do Ronda do Quarteirão (PROERD) irá trabalhar com os jovens e o muro da UAI será aumentado em 3 metros para melhor segurança dos pacientes e tranquilidade dos moradores vizinhos.