Como o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-CE, Flávio Saboya, é muito ligado ao setor agrícola, pois preside a Federação da Agricultura do Estado do Ceará (Faec), o superintendente da entidade diz que haverá um incremento neste segmento da nossa economia. “Ele está pautando no Conselho e na nossa diretoria sobre esse público, que precisa ser assistido. Então vamos trabalhar o setor agrícola, como se formaliza este setor na nossa economia, pois o industrial, o comercial e o de serviços já são mais avançados nesta questão.

No Ceará há um novo mundo rural, e começa a crescer a classe média rural, que se formaliza, é mais escolarizada e é preciso priorizar este segmento”, ressaltou Cartaxo.

O Sebrae-CE possui 12 escritórios regionais, para fortalecer, estimular e ampliar os pequenos negócios existentes em todo o Estado, inclusive na Região Metropolitana de Fortaleza. Estas unidades atendem às demandas de todo o Ceará e, inclusive, existe um programa denominado “Encadeamento Produtivo”. “Ele existe, exatamente, para aproximar as pequenas empresas – na complementariedade da produção de bens e serviços –, daquelas de médio e grande porte, como está acontecendo na região do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), pois esse território deverá transformar toda aquela região do Estado do Ceará. O Sebrae já está lá, desenvolvendo projeto, porque a dinâmica econômica do Pecém vai gerando pequenos negócios e microempresas que vão se constituindo ali nas circunvizinhanças como nos municípios de Caucaia e São Gonçalo do Amarante”, lembrou o superintendente.

Dentre os principais negócios, que precisam do apoio do Sebrae-CE nas áreas de qualificação e orientação técnica, o superintendente destacou, ainda, o setor comercial, pois Caucaia vem tendo intenso desenvolvimento econômico, com shopping center, outlet, empresas do setor de alimentos, oferecendo novas oportunidades. “Gerou emprego e renda, gera consumo e, com isso, aparecem os negócios. É inevitável este encadeamento, que é algo muito positivo. E o Ceará deve ampliar o seu crescimento, pois vem investindo em infraestrutura e tem obtido crescimento acima da média nacional. O nosso Centro de Eventos está com a sua pauta lotada; o Terminal de Passageiros do Porto do Mucuripe também será utilizado para eventos, enfim, os equipamentos que estão sendo instalado aqui, apontam para a ampliação das atividades econômicas do Estado. Foram construídas mais de 100 escolas profissionalizante e, tudo isso, contribui para que o Estado se desenvolva, descentralizando esta questão e o Sebrae está no coração desse processo, estando com suas portas abertas para receber o povo cearense”, completou Joaquim Cartaxo.

Fonte: O Estado CE