Alguns vereadores que compõem a bancada de oposição da Câmara Municipal de Iguatu (hoje maioria) foram até a Casa Legislativa às 17h dessa quinta-feira (20) em dia e horário regimental das sessões ordinárias, no entanto, naquele mesmo dia já havia sido realizada a sessão no período da manhã com apenas 08 vereadores (todos da bancada de governo).

Os desentendimentos entre os grupos políticos foram levados ao conhecimento da Delegacia Regional de Polícia Civil de Iguatu.

Os parlamentares Joaquim Ribeiro, Marconi Filho, Mário Rodrigues, Rubenildo Cadeira, Eudisvan da Silva, Cida Albuquerque, Romulo Fernandes e Marciano Lopes, prestaram queixa ao delegado e foi feito um Boletim de Ocorrência que consta os seguintes argumentos:

Compareceram em cartório os noticiantes para registrar a seguinte informação: CIENTE DO TEOR DOS ARTIGOS 340, ARTIGO 342 CP…DISSERAM QUE: são vereadores na cidade de IGUATU/CE e nesta data 20/11/2014, como de praxes, pelo giro das 17h00min, compareceram a CÂMARA MUNICIPAL para SESSÃO ORDINÁRIA que, conforme REGIMENTO INTERNO NA CASA, se realiza todas as terças e quintas-feiras as 17h00min: QUE ao chegarem a mencionada repartição foram informados que não haveria SESSÃO, sem nenhuma justificativa e por decisão do PRESIDENTE DA CÂMARA, informado pelos funcionários da casa que a SESSÃO já havia ocorrido pela manhã da  mesma data: QUE alguns dentre os presentes, quatro vereadores, foram informados na noite anterior, fugindo ao cumprimento da regra regimental, que prevê que sejam avisados cinco dias antes por notificação escrita ou deliberada em SESSÃO anterior: QUE os quatro vereadores MÁRIO RODRIGUES, JOAQUIM RIBEIRO, CIDA ALBUQUERQUE e MARCONI FILHO, receberam o mencionado aviso através de mensagem eletrônica, e por que tal ato foge totalmente a previsão legal, foram cumprir o horário regimental; QUE depois que chegaram a casa solicitaram da senhora secretária da CÂMARA uma certidão de presença dos vereadores, no que tal pedido foi negado pela senhora ASSISA, que alegou não ter autorização para dar a certidão: QUE depois foi comunicado a polícia civil, que compareceu em seguida composta dos policiais DPC LUIZ GONZAGA, IPC GUILHERME e o EPC MÁRCIO ROBERTO, que constaram a presença das autoridades parlamentares municipais na CÂMARA; QUE em seguida vierem para a delegacia lavrar o presente BOLETIM; PELO QUE DECLARAM SER VERDADE. E nada mais foi dito pelo que foi encerrado o presente BOLETIM, que lido e achado conforme segue devidamente assinado inclusive por mim, MÁRCIO ROBERTO, escrivão, que o digitei.

Em entrevista a Rádio Educativa Mais FM o vereador Rubenildo Cadeira declarou que o ato foi necessário, pois não concordam com as mudanças de horários e dias das sessões da Câmara e não apreciam as condutas recentes na Casa.