(Foto: Reprodução)

Um resort à beira-mar confiscado há quase 100 anos de seus proprietários, negros, foi devolvido aos descendentes deles após decisão de autoridades de Los Angeles, Estados Unidos, na terça-feira (28).

O casal comprou os dois terrenos por US$ 1.225 em 1912. O local agora vale cerca de US$ 20 milhões (cerca de R$ 100 milhões).

Willa disse a um repórter na época : “Sempre que tentamos comprar um terreno para um resort praiano, somos recusados. Mas eu possuo essa terra e vou mantê-la”.

Na década seguinte à compra pelo casal, o resort e a praia em frente a ele se tornaram uma “cidadela para os afro-americanos que buscavam lazer e vinham de todo o sul da Califórnia”, segundo disse o porta-voz da família, Duane “Yellow Feather” Shepard, à BBC no ano passado.

Mas logo o departamento de polícia local colocou placas limitando o estacionamento a 10 minutos, e um outro proprietário local colocou placas de alerta do tipo “proibido invadir” — fazendo com que as pessoas precisassem caminhar 800 metros para chegar à água, explicou Shepard. Essas medidas não afastaram os visitantes, e então as autoridades locais apreenderam os terrenos através de leis de domínio eminente — uma prerrogativa que permite ao governo comprar à força áreas para construir estradas e prédios públicos.

Na época, autoridades alegaram que planejavam construir um parque, mas isso só aconteceu muitas décadas depois. Nesse ínterim, a área permaneceu vaga.

Fonte: G1