(Foto: Reprodução)

Do coração de Fortaleza, no Centro da cidade, a história pulsa e pode ser revisitada em objetos centenários encontrados durante escavações para a instalação da Linha Leste do Metrô. Entre os resquícios do século XIX, frasco de perfume, remédio para calvície e garrafas de vinho foram recolhidos perto da Praça da Sé no último mês.

Os achados, provavelmente, pertenciam a membros da elite local da época e estavam juntos numa lixeira. Quando se acham objetos assim, é feita higienização, análise laboratorial e encaminhamento para instituição de guarda. Nesse caso, são mostras do auge da Belle Époque no Ceará

Naquele período, a sociedade fortalezense absorvia influências culturais da França de onde veio o frasco de perfume Fougere Royale, da marca Houbigant, que foi fabricado em 1884. A marca, inclusive, ainda fabrica perfumes.

“Essa mancha (concentração de objetos) em que encontramos o frasco de perfume se destaca pela quantidade de material em vidro, especificamente, garrafa de vinho e talvez de espumante. Além de um frasco íntegro de remédio para calvície”, explica a arqueóloga Emília Arnaldo.

Os materiais foram separados com auxílio de pincéis, identificados e registrados no local no dia 25 de julho deste ano. O frasco de perfume está cheio de sedimentos, o remédio para calvície preservado e as garrafas quebradas, mas devem passar por análise para detalhamento do conteúdo.

Também coordenadora geral do projeto de gestão das obras do metrô, Emília contextualiza que as escavações na Praça da Sé revelaram várias manchas com materiais domésticos como louça, vidros, faianças (tipo de cerâmica) e até ossos de animais.

Fonte: Diário do Nordeste