(Foto: Reprodução)

O decreto do Governo Federal que reduz em até 35% a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a maioria dos produtos fabricados no País deve dar fôlego ao setor. A expectativa é que os itens fiquem mais baratos e que a maior demanda do mercado gere novas vagas de emprego.

A perspectiva é apontada pelo gerente do Observatório da Indústria da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Guilherme Muchale.

Segundo ele, o principal impacto da redução deve ser o aumento da competitividade dos produtos brasileiros, especialmente em relação aos importados. A baixa na alíquota diminui a diferença da carga tributária brasileira, uma das mais altas do mundo, em relação às estrangeiras.

“A redução faz o custo Brasil, como a gente chama, se aproximar da tributação internacional. Como a indústria é o setor mais fortemente tributado no País e compete internacionalmente, a medida é muito positiva”, afirma.

Apesar da previsão de queda nos preços, o especialista indica que não é possível estimar de quanto ela deve ser para o consumidor final, uma vez que os impostos são apenas um dos componentes do preço, assim como insumos, matéria-prima, entre outros.

Ainda assim, o setor deve aproveitar o alívio tributário para baixar os preços como estratégia no combate à pressão dos produtos importados, que costumam ser mais baratos.

Fonte: Diário do Nordeste

 

PODCAST DIÁLOGO MAIS – ELEIÇÕES 2022 – O QUE FAZ UM DEPUTADO FEDERAL, ESTADUAL E SENADOR? O QUE É ESQUERDA, DIREITA E CENTRÃO?