Quatro policiais penais, que transportavam três presos que fugiram de dentro de uma viatura, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), no último dia 25 de novembro, foram afastados preventivamente do serviço público, por 120 dias. Os fugitivos voltavam de um julgamento, no qual foram condenados a mais de 200 anos de prisão – se somadas as penas – por participação na Chacina de Quixeramobim.

A decisão de afastar os agentes foi tomada pela Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário do Ceará (CGD) e publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) do dia 2 de dezembro último.

Conforme a decisão, o afastamento se deu “por prática de atos incompatíveis com a função pública, visando à garantia da ordem pública, à instrução regular do processo administrativo disciplinar e à correta aplicação de sanção disciplinar”.

A CGD também instaurou Processo Administrativo Disciplinar (PAD) para apurar a responsabilidade administrativa dos policiais penais. Um Inquérito Policial apura “eventual facilitação de fuga e corrupção” cometidas pelos servidores.

Fonte: Diário do Nordeste