Muitas pessoas ainda nem conseguiram sentir os benefícios do 5G, mas o mundo já está se preparando para a instalação da próxima rede de conectividade: o 6G, que está previsto para o ano de 2030. Entre os benefícios e aplicações previstas, segundo o engenheiro e pesquisador Paulo Rufino, estão as ligações por holograma, wifi transmitida por luz, e uma rede global de internet onde não haverá pontos desassistidos.

Segundo o “head of delivery and operations” na Spideo, toda nova geração começa a ser desenvolvida logo após o lançamento da anterior, que tem um período de maturação de cerca de 10 anos. Então, os estudos para elaboração do 6G já estão sendo realizados desde 2020, ano que, não fosse a pandemia do coronavírus, teria contado com o lançamento da quinta geração.

Com vários países já concentrando esforços e recursos em pesquisa, a previsão é que o 6G esteja disponível em 2030, trazendo diversas revoluções nos sistemas atuais.

“O período de projeto de uma nova geração é de 10 anos, para trazer pesquisadores, engenheiros e técnicos para discutir sobre o que precisa ser feito em relação à rede antiga e que novos avanços e aplicações surjam. E já se definiu que quando se termina o roadmap e desenvolvimento de uma rede, inicia-se a outra automaticamente. Então, é o processo normal de evolução natural. O 5G terminou em 2020, que foi quanto tivemos a primeira liberação no mundo”, disse Rufino.

 

Fonte: Diário do Nordeste