(Foto: Divulgação)

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou nesta terça-feira (12) que o banco já se desfez de 70 edifícios desde o início da atual gestão, há dois anos, e vai devolver mais 100 imóveis nos próximos anos.

Ele acrescentou que 64 mil itens que estão no banco, como cadeiras, mesas, armários, computadores sem uso, serão doados à população, e questionou por que anualmente a empresa fazia compras de itens sem necessidade. Em sua visão, a Caixa nunca foi tão transparente.

Empresas que se cadastraram no site da instituição e foram aprovadas vão receber as doações.

A cerimônia, realizada no Palácio do Planalto, conta com a participação do presidente Jair Bolsonaro.

Além do presidente e da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, estão no evento o vice Hamilton Mourão, e os ministros Paulo Guedes, da Economia, Walter Braga Netto, da Casa Civil, e Onyx Lorenzoni, da Cidadania. Só Michelle e Guedes usavam máscara.

O ministro do Turismo, Gilson Machado, apareceu no meio da cerimônia, tocando acordeon ao lado da banda que executava as músicas do evento.

O presidente da Caixa citou que este governo olhou pela primeira vez para os chamados invisíveis, 38 milhões de pessoas que nunca foram assistidas por gestão nenhuma e receberam o auxílio emergencial em 2020.

Ele mencionou que o banco tem mais de 140 milhões de contas e 25 mil postos de atendimento. E construiu durante a pandemia 105 milhões de contas digitais.

Segundo Guimarães, o número coloca a instituição como as segunda maior do mundo no segmento digital, só perdendo para um banco indiano, que não soube dizer o nome, que teria 116 milhões de contas na internet.

O executivo da Caixa afirmou que o banco nunca emprestou tanto e mesmo assim espera a menor taxa de inadimplência dos últimos anos em 2021.

Fonte: R7