(Foto: Reprodução)

Iogurte de R$ 12 por R$ 6, biscoito recheado de R$ 3,50 por R$ 1,50 e uma peça de salame que custaria por volta de R$ 105, por apenas R$ 15. Apenas um detalhe: o consumo precisa ser imediato. Os “vencidinhos”, como são conhecidos os alimentos próximos ao vencimento, são próprios para o consumo.

O comércio desses produtos, também chamados “fifos”, tem ganhado espaço na periferia de Fortaleza, atraindo consumidores com descontos de até 70% em meio ao aumento generalizado de preços.

Os produtos conhecidos pelos consumidores como “vencidinhos” estão próprios para o consumo.

De acordo com o presidente da Associação Cearense de Supermercados (Acesu), Nidovando Pinheiro, a prática tem sido recorrente tanto em grandes redes de supermercados como em mercadinhos de bairro.

Nas periferias, os fifos se tornam uma forma de fugir do arroz e feijão cotidiano e colocar produtos tidos como supérfluos também na mesa.

Fonte: Diário do Nordeste

PODCAST MAIS SAÚDE – Edição de 19 de março, com Paulinho Neto